Mostrando postagens com marcador Dúvidas Consulares sobre visto de entrada. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Dúvidas Consulares sobre visto de entrada. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Certificado de domicílio


  • o passaporte válido (com registro de domicílio no exterior e, caso tenha registro de domicílio na Alemanha, o comprovante de baixa de residência "Abmeldung"),
  • a carteira de identidade para estrangeiros (RNE) e
  • uma conta atual de luz ou água que esteja no nome do interessado. Cidadãos brasileiros, que não têm também a nacionalidade alemã, deverão apresentar uma conta atual de luz ou de água que esteja em seu nome e também carteira de identidade ou passaporte, pois no passaporte brasileiro ou na carteira de identidade não há registro de domicílio.

Certificado de Mudança (no caso de mudanças para a Alemanha)


  • o passaporte alemão, através do qual fica comprovado o atual domicilio brasileiro,
  • o documento brasileiro de identidade para estrangeiros (RNE), assim como
  • documentos adequados que comprovem a mudança para a Alemanha (por exemplo: certificado do locatário ou do empregador sobre o término do contrato de aluguel ou trabalho, documentos de despacho, correspondência com o futuro locatário ou empregador alemão).

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Certificado de tradutor


Para a utilização de traduções de documentos brasileiros na Alemanha é freqüentemente necessário apresentar um certificado de tradutor que confirme às autoridades públicas alemãs que o documento realmente foi traduzido por um tradutor juramentado.
Para isto, a representação da Alemanha compara a assinatura e o carimbo do tradutor com as provas de assinaturas e carimbos registrados na representação da Alemanha. O conteúdo da tradução não é verificado. (No Rio de Janeiro é necessário que seja feito primeiramente o reconhecimento da firma do tradutor por um tabelião brasileiro).
Caso o tradutor ainda não tenha registro na representação da Alemanha, este terá de ser providenciado, geralmente pela pessoa interessada. Deve se levar em consideração que cada representação alemã tem em seus arquivos somente o registro dos tradutores de sua área de competência. Assim, eventualmente, será necessário entrar em contato com outras representações alemãs, caso as traduções foram feitas por um tradutor de outra área de competência. Traduções feitas do alemão para o português não podem ser certificadas pela representação alemã.
O requerente tem que vir pessoalmente durante o horário de atendimento ao público.
A taxa para cada certificado emitido corresponde a EUR 20,00 e deverá ser paga  em reais e em dinheiro quando da entrega do requerimento.
Valores em euros, cheques ou cartão de crédito não serão aceitos.
Para estudantes e candidatos a estudo na Alemanha, este serviço é gratuito (precisa provas).

Certificados de Vida


Para assuntos de pensão, de aposentadoria e indenização exige-se ocertificado de vida para comprovar que o pensionista ainda vive. Os formulários deste certificado são enviados pelas respectivas instituições alemãs de aposentadoria (não pela a representança da Alemanha) em diferentes épocas do ano e geralmente o pensionista tem um prazo determinado para a devolução do mesmo.
O certificado de vida é expedido mediante a presença do pensionista na representança da Alemanha (Consulado ou Embaixada) durante o horário de atendimento ao público.
Caso o pensionista tenha recebido um formulário de uma repartição alemã, deverá comparecer com o mesmo no consulado. A representança da Alemanha (Consulado ou Embaixada), porém, também dispõe de formulários que podem ser preenchidos na hora por ocasião da visita do pensionista interessado. Por ocasião desta visita será necessário que o pensionista identifique-se com um documento de identidade e assine o formulário. Como documento de identidade a representança da Alemanha (Consulado ou Embaixada) aceita somente documentos originais (não cópias autenticadas) como o seu passaporte válido ou a carteira brasileira de identidade (caso emitida há menos de 20 anos), mas não a carteira brasileira de habilitação.
Caso o pensionista não seja mais capaz de assinar pessoalmente, torna-se necessário um atestado médico.
Aviso importante: Pela confirmação de certificados de vida para organizações que NÃO são da Previdência Social alemã, será cobrada uma taxa em Reais, equivalente a €20,00.
Em casos em que o pensionista não puder comparecer pessoalmente à representação consular por motivos de doença, a Embaixada da Alemanha pode indicar uma pessoa de confiança que visita o pensionista em sua casa. Porém, por esta visita é cobrada uma taxa que varia conforme despesas e distância.
Para pensionistas que residem muito distantes da representança da Alemanha (Consulado ou Embaixada) existe a seguinte possibilidade:
Dirigir-se com o
formulário em português (atestado) [pdf, 3.68k] 
à delegacia de polícia mais próxima (não ao cartório). O delegado deverá preencher o atestado em português e assinar no local indicado para a assinatura.
Esta assinatura do policial deverá ser autenticada por um tabelião, no cartório onde há o registro da assinatura deste policial. No mesmo cartório deve-se solicitar uma carta de assinaturas (sinal público).
Este atestado com todas as assinaturas e autenticações, a carta de assinaturas do cartório e o formulário enviado pela Alemanha devidamente assinado deverão ser enviados para a representança da Alemanha (Consulado ou Embaixada). A estes documentos deverá estar anexada uma cópia autenticada da carteira brasileira de identidade ou do documento brasileiro de identidade para estrangeiros / passaporte, uma vez que o certificado de vida precisa ser legalizado pelo Consulado da Alemanha.

Certificado de Identidade do Alemão no Brasil


Certificado de Identidade
Em caso de existirem documentos alemães onde não consta o nome completo do titular (todos os nomes constantes no passaporte), como ocorre por exemplo na carteira de habilitação, as repartições brasileiras freqüentemente exigem um certificado consular dos dados pessoais. Neste certificado, a representança da Alemanha (Consulado ou Embaixada) declara que se trata da mesma pessoa, apesar da diferença do nome.

Para a emissão de tal certificado, será necessário apresentar o passaporte válido, o documento em questão e a certidão de nascimento. Caso o sobrenome tenha sido alterado por ocasião do casamento, deverá ser apresentada também a certidão de casamento.

O requerente tem que vir pessoalmente durante o horário de atendimento ao público.
A taxa para cada certificado emitido corresponde a EUR 20,00 e deverá ser paga  em reais e em dinheiro quando da entrega do requerimento.
Valores em euros, cheques ou cartão de crédito não serão aceitos.

Certificado sobre o Regime de Bens


Certificado sobre o Regime de Bens
O certificado sobre o regime legal alemão da comunhão de adquiridos (Zugewinngemeinschaft) é necessário para o registro em um cartório brasileiro de um casamento realizado na Alemanha.

O requerente tem que vir pessoalmente durante o horário de atendimento ao público.
A taxa para cada certificado emitido corresponde a EUR 20,00 e deverá ser paga  em reais e em dinheiro quando da entrega do requerimento.
Valores em euros, cheques ou cartão de crédito não serão aceitos.

Certificados sobre outros regimes de bens podem ser emitidos mediante apresentação dos respectivos comprovantes, sendo que o valor da taxa é variável, conforme a complexidade do caso, e é maior que EUR 20,00.

Certificados para fins de obtenção de permanência e CPF Para diferentes assuntos, as repartições brasileiras necessitam de certidões consulares (ou inscrições consulares) dos dados pessoais, por exemplo para o obtenção da permissão de permanência brasileira ou registro de contribuinte. Para a expedição de tal certificado, é necessário apresentar o passaporte válido e a certidão de nascimento. Em caso de mudança de sobrenome por ocasião do casamento, é necessário apresentar também a certidão de casamento. O requerente tem que vir pessoalmente durante o horário de atendimento ao público. A taxa para cada certificado emitido corresponde a EUR 20,00 e deverá ser paga em reais e em dinheiro quando da entrega do requerimento. Valores em euros, cheques ou cartão de crédito não serão aceitos.


Certificados para fins de obtenção de permanência e CPF
Para diferentes assuntos, as repartições brasileiras necessitam de certidões consulares (ou inscrições consulares) dos dados pessoais, por exemplo para o obtenção da permissão de permanência brasileira ou registro de contribuinte.

Para a expedição de tal certificado, é necessário apresentar o passaporte válido e a certidão de nascimento. Em caso de mudança de sobrenome por ocasião do casamento, é necessário apresentar também a certidão de casamento.

O requerente tem que vir pessoalmente durante o horário de atendimento ao público.
A taxa para cada certificado emitido corresponde a EUR 20,00 e deverá ser paga  em reais e em dinheiro quando da entrega do requerimento.
Valores em euros, cheques ou cartão de crédito não serão aceitos.

Confirmação de saída de mercadorias (exportação)


A confirmação de saída de mercadoria e dos dados do comprador para fins de restituição de impostos sobre vendas de produtos exportados sem caráter comercial é fornecida, via de regra, pela alfândega no aeroporto no momento do embarque para saída.
A restituição do imposto sobre vendas somente é possível se o comprador final
  • adquiriu o produto pessoalmente para fins não comerciais;
  • tenha trazido o produto para o Brasil antes de decorridos três meses da data da compra
  • tenha trazido o produto em sua bagagem pessoal (trânsito não comercial de mercadorias);
  • tinha domicílio oficial no Brasil na data da compra.

Favor observar que o vendedor da mercadoria preencha por completo o formulário para exportação "Ausfuhrbescheinigung" ou "Ausfuhrkassenzettel". A quantidade e o valor dos bens adquiridos deverão constar no respectivo formulário ou ser comprovados mediante nota fiscal / cupom de caixa que devem estar em anexo. O valor da compra deverá conter o imposto pago.
Além disso, no campo reservado para informações sobre o comprador final deverá constar o seu nome e endereço no Brasil bem como os dados referentes ao seu passaporte.
A Representação Alemã fará a confirmação de saída de mercadoria e dos dados do comprador apenas em casos excepcionais, mediante comprovação dos motivos. A partir de 1° de outubro de 2001 será cobrada uma taxa pela confirmação pela Representação Alemã de EUR 30,00, cada confirmação de saída de mercadorias. A taxa deverá ser paga  em reais e em dinheiro quando da entrega do requerimento.  Valores em euros, cheques ou cartão de crédito não serão aceitos.

A confirmação de saída da mercadoria somente poderá ser feita se a Representação Alemã puder identificar a mercadoria apresentada com aquela constante no certificado de exportação, comprovando-se dessa forma a saída da mercadoria. Para isso 
é imprescindivel que a mercadoria seja apresentada na Representação Alemã.

Para mercadorias que não tiverem sido levadas na bagagem pessoal, a Representação Alemã recomenda que a confirmação de exportação seja providenciada por um importador.

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Acordo de Schengen



Gênese e desenvolvimento do Acordo de Schengen

Em 1985/06/14, a República Federal da Alemanha, França, Bélgica, Luxemburgo e Holanda assinaram o Acordo de Schengen (um lugar no Luxemburgo nas fronteiras com Alemanha e França) relativo à supressão gradual dos controlos nas fronteiras internas entre as partes.
Em 1990/06/19 para a implementação do Acordo de Schengen, da Convenção de Aplicação do Acordo de Schengen foi (Convenção de Schengen - convenção) foi assinado. Objecto do Acordo são medidas compensatórias para garantir um resultado da supressão dos controlos nas fronteiras internas, uma única área de segurança e justiça.É, assim,
  • a unificação das regras de entrada e estadia curta de estrangeiros no "Espaço Schengen" (uniforme visto Schengen),
  • Asilo (o Estado responsável por um Estado-Membro um pedido de asilo)
  • Medidas contra o tráfico internacional de drogas
  • cooperação policial e
  • Cooperação dos países Schengen no judiciário.
A Convenção de Schengen entrou em vigor em 1993/01/09 em vigor, a aplicação prática das suas disposições individuais, mas fechado apenas depois de estabelecer os requisitos técnicos e legais (por exemplo, a criação de bases de dados e os subjacentes APD) - a chamada "execução" em 1995/03/26.
Depois da cooperação Schengen foi, inicialmente, apenas com base no direito internacional, foi por meio do protocolo de Schengen ao Tratado de Amesterdão de 1997/10/02 incluído com efeitos a partir de 1999/01/05 na UE.
O acervo de Schengen (Acordo de Schengen e as regras adoptadas a esse título) e seu desenvolvimento foi transferido para muitas áreas da competência da Comunidade Europeia.
Os membros do espaço Schengen para os países membros da União Europeia tem muitas vantagens. Com a abolição dos controlos fronteiriços nas fronteiras internas da União não é apenas um multi associada à liberdade para os cidadãos, mas também de segurança. A supressão dos controlos nas fronteiras internas. Mais eficiente e melhores controles nas fronteiras externas do Espaço Schengen e outras medidas nas fronteiras internas, vigilância de fronteiras, por exemplo equilibrada móvel e maior conectividade do trabalho policial,
Desde 1995 tem havido várias extensões do espaço Schengen: Áustria aderiu em 1997, e os países do norte da Dinamarca, Finlândia, Islândia, Noruega e Suécia, em 2000.O Conselho Europeu decidiu em Dezembro de 2007, uma extensão para o novo membros da UE Estónia, Letónia, Lituânia, Malta, Polónia, Eslováquia, Eslovénia, República Checa e Hungria. Recentemente, Liechtenstein aderiu em Novembro de 2011.

Objetos de regulamentação 

  1. Os cidadãos dos Estados de Schengen (ver abaixo) pode ultrapassar as fronteiras de Schengen sem controlos internos. 
  2. Titulares de um Estado Schengen emitido e não no seu visto de validade territorial limitada de curta duração ("visto Schengen" categoria de visto "C") pode estar presente, como parte de sua validade em todo o território dos Estados Schengen e livremente dentro . jogada Ao cruzar fronteiras internas também está sujeito a essas pessoas nem controle. Aeroporto vistos de trânsito (visto de categoria "A") só dá direito a permanecer nas áreas de trânsito internacional dos aeroportos, mas não para a entrada no espaço Schengen.
  3. Nacionais de países terceiros que sejam titulares de uma autorização de residência nacional de um Estado Schengen pode, no contexto de sua validade por até 90 dias dentro de um período de 6 meses nos territórios de outros Estados Schengen aufhalten.Dies também se aplica aos titulares de um Schengen por um Estado-emitidos "nacional" de visto (visto "D").
  4. Harmonizado política de vistos dos Estados-Membros (lista comum de exigências de visto e de isenção de visto de países terceiros).
  5. Fronteira externa de padrão uniforme.
  6. Acesso dos Estados-membros ao Sistema de Informação Schengen (SIS), incluindo Schengen a nível pessoal e dados de propriedades, especialmente em fins de investigação.
  7. Polícia apertados e de cooperação judicial.
  8. Luta comum contra a criminalidade associada à droga.
  9. Regras de competência para a execução dos procedimentos de asilo, uma vez substituído pelo Regulamento (CE) n º 343/2003, de 18 de Fevereiro de 2003 (o chamado Regulamento Dublin II)

Estados-Membros

Os Estados devem aplicar as seguintes disposições do acervo de Schengen (de modo completo os usuários dos Estados Schengen): 
Resumo:
PaísAbolição dos controlos nas fronteiras
Bélgica, Alemanha, França, Grécia, Itália, Luxemburgo, Holanda, Portugal, Espanha1995/03/26
Áustria1997/12/01
Dinamarca, Finlândia, Islândia, Noruega, Suécia2000/12/01
Estónia, Letónia, Lituânia, Malta, Polónia, Eslováquia, Eslovénia, República Checa, Hungria2007/12/21
Suíça12.12.2008 (fronteiras terrestres), 2009/03/29 (aeroporto)
Liechtenstein2011/12/19
Com a abolição dos controlos nas fronteiras internas, o titular de um visto comum durante o período de validade, podem ser até um máximo de 90 dias por semestre nos Estados acima aplicam o Acordo de Schengen.
Depois da Suíça em Junho de 2005 o seu acordo com o Acordo de Associação com a UE e da CE concordou com o espaço Schengen, a Suíça tem sido desde o dia 12 De dezembro de 2008 pelo Acordo de Schengen. A supressão dos controlos nas fronteiras aéreas foi a 29 Março de 2009.
Para o membro da UE Dinamarca, Irlanda e Reino Unido regras especiais são fornecidos.
Dinamarca aplica o acervo de Schengen, mas foi no momento da assinatura do Acordo de Schengen entrou em uma reserva relativamente à implementação e aplicação de futuras decisões sobre a base do acordo apresentado. Ele vai decidir caso a caso se é no desenvolvimento do acervo de Schengen sobre a adesão base jurídica internacional e pretende usar a comunidade que foram feitos sem os seus direitos de participação para o direito nacional. No entanto, a Dinamarca esteja vinculada por determinadas medidas no âmbito da política comum de emissão de vistos.
Irlanda e no Reino Unido não são partes no Acordo de Schengen. Você pode aceitar o acervo de Schengen, com a aprovação do Conselho da UE, no todo ou em parte, e de participar no seu desenvolvimento. Você não dão vistos Schengen. Ambos os países aplicam o acordo Schengen apenas parcialmente. O Conselho de Ministros da UE aprovou um pedido destes países para uma cooperação mais estreita entre a cooperação policial e judiciária em matéria penal, a luta contra as drogas eo Sistema de Informação Schengen (SIS). No entanto, não era uma supressão dos controlos nas fronteiras.
Islândia e Noruega, ambos países que não são membros da União Europeia é aplicável o acervo de Schengen. Isto é baseado em um acordo de associação com a UE em 1999/05/18.
Ambos os países pertencem (juntamente com a Dinamarca, Finlândia e Suécia) para a União Nórdica de Passaportes, que aboliu os controlos nas suas fronteiras comuns. O Conselho da União Europeia decidiu, em 2000/01/12, a aplicação do acervo de Schengen em todos os cinco países da União Nórdica de Passaportes. Desde então, eles têm Estados totais de usuário. As disposições relativas ao Sistema de Informação de Schengen já estão em vigor desde 2000/01/01.
A legislação aplicável à Islândia e Noruega domínios do acervo de Schengen, as relações entre os dois países, por um lado, e na Irlanda e no Reino Unido, por outro lado definidas em um Conselho de 1999/06/28, aprovou a Convenção.
Na prática, a integração dos não-membros da UE a Islândia ea Noruega, comissões mistas, que se sentam ao lado dos grupos de trabalho do Conselho da UE. Nas suas reuniões são atendidos por representantes dos Governos dos Estados Membros da UE, a Comissão e os governos de países terceiros. Islândia e Noruega, assim, tomar parte nas discussões sobre o desenvolvimento do acervo de Schengen, mas não na votação.
Andorra assinaram a Convenção de Schengen não explicitamente. Havia, no entanto, não os controlos nas fronteiras com a vizinha Espanha e França. Liechtenstein com a Suíça um monetária e união aduaneira. San Marino assinaram a Convenção de Schengen não explicitamente, mas há controles foram a Itália só vizinho.
Apesar da plena adesão à UE, a Bulgária ea Roménia (adesão em 01.01.2007) e Chipre (adesão em 01.05.2004), o acervo de Schengen, até agora apenas parcialmente.Esses estados na elaboração nenhum uniforme vistos Schengen.
Para adquirir a totalidade do acervo de Schengen condições são necessárias certas. Estes incluem o comissionamento do pessoal reforçada e sistema de pesquisa de propriedade (segunda geração do Sistema de Informação de Schengen - SIS II) e da conclusão bem sucedida de um processo de avaliação em que as informações necessárias para a plena aplicação dos requisitos do acervo de Schengen são verificados. Só então poderá ser removido controlos fronteiriços.
  1. Acordo de Schengen - Acordo entre os Governos dos Estados da União Económica Benelux, da República Federal da Alemanha e da República Francesa relativo à supressão gradual dos controlos nas fronteiras comuns, de 14 Junho de 1985 (GMBl. 1986, pp 79 e seguintes)
  2. Convenção de Schengen - CISA - Convenção de aplicação do Acordo de Schengen, de 14 de Junho de 1985, os Governos dos Estados da União Económica Benelux, da República Federal da Alemanha e da República Francesa relativo à supressão gradual dos controlos nas fronteiras comuns, de 19 de Junho de 1990 (Lei Federal Gazette II 1993, página 1013 e seguintes)
  3. Agir sobre o Acordo de Schengen, de 19 de Junho de 1990, à supressão gradual dos controlos nas fronteiras comuns, de 15 Julho de 1993 (Lei Federal Gazette II 1993, página 1010 e seguintes)
  4. Aviso de entrada em vigor da Convenção de Aplicação do Acordo de Schengen, de 14 de Junho de 1985, os Governos dos Estados da União Económica Benelux, da República Federal da Alemanha e da República Francesa relativo à supressão gradual dos controlos nas fronteiras comuns, de 14 de Junho de 1985 (Lei Federal Gazette II de 1994, página 631 e seguintes)
  5. Tratado de Amesterdão de 1997/02/10 (Lei Federal Gazette 1998 II, 386)
  6. Código das Fronteiras Schengen (Regulamento CE n º 562/2006 de 15.03.2006), em vigor desde 2006/10/13

Lista de exigências de visto para os estados a liberdade de entrar na República Federal da Alemanha

EstadosExigências de visto para a Alemanha: sim / não (1)
AfeganistãoSim
EgitoSim
Albânia (5)Não
ArgéliaSim
Andorra (4)Não
AngolaSim
Antígua e BarbudaNão
Guiné EquatorialSim
ArgentinaNão
ArmêniaSim
AzerbaijãoSim
EtiópiaSim
Austrália (e Ilhas Cocos, Ilha Norfolk, Ilha Christmas) (3)Não
BahamasNão
BahreinSim
BangladeshSim
BarbadosNão
Belarus (ver também Bielorrússia)Sim
Bélgica (2)Não
BelizeSim
BeninSim
ButãoSim
BolíviaSim
Bósnia e Herzegovina (5)Não
BotswanaSim
Brasil (4)Não
Brunei DarussalamNão
Bulgária (2)Não
Burkina FasoSim
BurundiSim
ChileNão
China (PR) (6)Sim
Costa RicaNão
Côte d'Ivoire (Costa do Marfim)Sim
Dinamarca (2)Não
República Democrática do Congo (ex-Zaire)Sim
DominicaSim
República DominicanaSim
DjiboutiSim
EquadorSim
El Salvador (4)Não
EritreiaSim
Estónia (2)Não
FijiSim
Finlândia (2)Não
França (2) (incluindo a Guiana Francesa, Polinésia Francesa, Guadalupe, Martinica, Nova Caledônia, Reunion, St. Pierre e Miquelon)Não
GabãoSim
GâmbiaSim
GeórgiaSim
GanaSim
GranadaSim
Grécia (2)Não
GuatemalaNão
GuinéSim
Guiné-BissauSim
GuianaSim
HaitiSim
Honduras (4)Não
Hong Kong (6)ver PR China
ÍndiaSim
IndonésiaSim
IraqueSim
IrãSim
Irlanda (2)Não
Islândia (2)Não
Israel (3)Não
Itália (2)Não
JamaicaSim
Japão (3)Não
IémenSim
JordâniaSim
CambojaSim
CamarõesSim
Canadá (3)Não
Cabo VerdeSim
CazaquistãoSim
CatarSim
QuêniaSim
QuirguistãoSim
KiribatiSim
ColômbiaSim
ComoresSim
Congo (República do Congo)Sim
Congo, República Democrática do (antigo Zaire)Sim
Coréia (Coréia do Sul, Coréia do Sul) (3)Não
Coreia (República Popular Democrática da Coreia do Norte)Sim
KosovoSim
CroáciaNão
CubaSim
KuweitSim
LaosSim
LesotoSim
Letónia (2)Não
LíbanoSim
LibériaSim
LíbiaSim
Liechtenstein (2)Não
Lituânia (2)Não
Luxemburgo (2)Não
Macau (6)Não
MadagáscarSim
MalaviSim
MalásiaNão
MaldivasSim
MaliSim
Malta (2)Não
MarrocosSim
Ilhas MarshallSim
MauritâniaSim
MaurícioNão
Macedónia (5)Não
MéxicoNão
MicronésiaSim
MoldáviaSim
Mónaco (4)Não
MongóliaSim
Montenegro (5)Não
MoçambiqueSim
Myanmar (Birmânia)Sim
NamíbiaSim
NauruSim
NepalSim
Nova Zelândia (incluindo as Ilhas Cook, Niue, Tokelau) (3)Não
NicaráguaNão
Holanda (2)Não
NígerSim
NigériaSim
Noruega (2)Não
OmãSim
Áustria (2)Não
PaquistãoSim
PalauSim
PanamáNão
Papua Nova GuinéSim
ParaguaiNão
PeruSim
FilipinasSim
Polónia (2)Não
Portugal (2)Não
RuandaSim
Roménia (2)Não
RússiaSim
Ilhas SalomãoSim
ZâmbiaSim
SamoaSim
San Marino (4)Não
São Tomé e PríncipeSim
Arábia SauditaSim
Suécia (2)Não
Suíça (2)Não
SenegalSim
Sérvia (8)Não
SeychellesNão
Serra LeoaSim
ZimbábueSim
CingapuraNão
Eslováquia (2)Não
Eslovénia (2)Não
SomáliaSim
Espanha (2) (incluindo territórios espanhóis no norte da África com Ceuta e Melilla)Não
Sri LankaSim
São Cristóvão e NévisNão
St. LuciaSim
São Vicente e GranadinasSim
África do SulSim
SudãoSim
SurinameSim
SuazilândiaSim
SíriaSim
TajiquistãoSim
TaiwanNão
TanzâniaSim
TailândiaSim
Timor-Leste (Timor Leste)Sim
TogoSim
TongaSim
Trinidad e TobagoSim
ChadeSim
República Checa (2)Não
TunísiaSim
TurquiaSim
TurcomenistãoSim
TuvaluSim
UgandaSim
UcrâniaSim
Hungria (2)Não
UruguaiNão
UzbequistãoSim
VanuatuSim
Cidade do VaticanoNão
VenezuelaNão
Emirados Árabes UnidosSim
Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte (2), (7)Não
Estados Unidos (incluindo EUA Ilhas Virgens, Samoa Americana, Guam, Porto Rico) (3)Não
VietnãSim
Belarus (ver também Bielorrússia)Sim
Central Africano RepúblicaSim
Chipre (2)Não

1) os titulares de passaportes nacionais dos Estados, a necessidade de entrar na Alemanha sem visto (Nota: "Não") pode, em princípio, sem um visto não superior a 90 dias por semestre estadia anos na Alemanha. Além disso, eles podem ter uma actividade remunerada durante este período.
2) Os cidadãos desses países não estão sob o controle de 1) afetados.
3) autorização de residência (para estadias superiores a 90 dias) pode ser solicitado pela entrada sem visto.
4) sob controle 3) se aplica se a pessoa não registrada.
5) A isenção de visto aplica-se apenas aos titulares de passaportes biométricos.
Grátis 6) do proprietário obrigação de visto de passaportes SAR (passaportes das Regiões Administrativas Especiais de Hong Kong e Macau).
7) estão isentos da obrigação de visto também cidadãos dos territórios britânicos ultramarinos ("British Nationals (Overseas)")
8) A isenção de visto aplica-se apenas aos titulares de passaportes biométricos, a menos que seja pela Coordenação sérvio Direcção (sérvio: emitido Koordinaciona uprava).

A partir de 20/04/2012