Mostrando postagens com marcador Arte. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Arte. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Roteiro Arte Urbana em São Paulo

Roteiro Arte Urbana

São Paulo, cidade de inúmeros talentos criativos, começou a ganhar o colorido dos grafites nos anos 80. E hoje, muitos de seus artistas, reconhecidos internacionalmente, atraem visitantes à procura de suas obras, que acabam se encantando com a descoberta de novos gênios da arte de rua.

Essas intervenções urbanas, por sua característica dinâmica, podem ser admiradas por um período limitado e ao mesmo tempo indeterminado, mas podem ser imortalizadas com as fotos que de tempos em tempos são expostas em galerias e outros espaços culturais.

Explore as ruas de São Paulo, se atente aos detalhes e se surpreenda com o encontro de uma inesperada obra ao virar a próxima esquina!

Fazem parte do roteiro de Arte Urbana:
Museu Aberto de Arte Urbana |Ÿ Floresta Urbana |Ÿ Pinheiros / Vila Madalena (Beco do Batman; Igreja do Calvário; Beco Escola) |Ÿ Túnel da Paulista |Ÿ Av. 23 de maio (Viaduto Tutóia; Viaduto Jaceguai) |Ÿ Liberdade (Rua Galvão Bueno; Rua da Glória) |Ÿ Centro (Av. Prestes Maia; Senac Tiradentes; CIT República) |Ÿ Muro do Cambuci |Ÿ Rio Tietê (canalização) |Ÿ Av. Nove de Julho Ÿ| Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso |Ÿ Clube Escola Jardim São Paulo |Ÿ SESC Santana |Ÿ Galeria Choque Cultural Ÿ| Museu de Arte de São Paulo (MASP) |Ÿ Matilha Cultural Ÿ| Museu Brasileiro da Escultura (MuBE) |Ÿ QAZ Galeria de Arte |Ÿ Espaço Cultural Periferia no Centro



sábado, 6 de outubro de 2012

ARTE O anel Imperador para Baldessari


Ele é considerado um dos pais da arte conceitual. Em suas obras, ele brinca com clichês do mundo cotidiano. Portanto, o artista John Baldessari EUA foi premiado com o imperador da cidade de Goslar.
O prêmio é uma grande honra para ele, Baldessari disse enquanto segurava prestigiado prêmio do mundo para a arte contemporânea nas mãos. Por décadas ele teve com foto e vídeo obras, colagens e montagens de foto-imagem influenciaram a arte chamada conceitual, e muito inspirado muitos jovens artistas. Sua concepção de arte era a deixar as coisas difíceis parecerem fáceis, o artista de 80 anos disse em Goslar.
O júri aprecia os norte-americanos como um dos mais influentes artistas visuais: Suas obras Baldessari jogos com padrões e estereótipos da vida cotidiana e os meios de comunicação, dizem eles.Ele verfremde, esconder, de íris, combinando imagem e linguagem, e criar-se novos significados.
Da pintura à arte experimental
Baldessari nasceu em 17 Junho 1931 em National City (Califórnia) nascido. Sua carreira começou com estudos de arte em San Diego, Berkeley e Los Angeles. Ele pintou no início, se transformou em 1960, mas cada vez mais a arte experimental. Causou polêmica em 1970, o seu "Projeto de cremação", em que ele queimou todas as suas obras a partir dos 1953 anos a 1966.
Baldessari tem recebido nos últimos anos, muitas vezes. Entre outras coisas, ele teve de 2009 para trabalho de sua vida, o Leão de Ouro no 53 Bienal recebe. Hoje, ela é atribuída ao conceito ou a arte de mídia e, por vezes referido como pop-arte artista.
O anel Imperador - um anel de ouro com a imagem de 11 Novembro 1050 nascido em Goslar imperador Henrique IV - concedido desde 1975. Entre os vencedores anteriores incluem Max Ernst, Joseph Boys, Georg Baselitz e Christo.
DG / rb (dpa, AFP)

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Belarus ampliou a lista de atividades de artesanato

3 de outubro de Minsk / Correspondente. Aprendidas /. A lista de atividades de artesanato na Bielorrússia expandiu significativamente pelo decreto de 27 setembro de 2012 № 432 "No alterações e aditamentos ao Decreto Presidencial de 16 de maio, 2005 № 225". BelTA aprendeu no Ministério de Assuntos Públicos da Economia. Decreto cria condições adicionais para o desenvolvimento da República de actividades artesanais e incentivar o auto-emprego, a preservação das tradições nacionais e as necessidades dos cidadãos em uma obra relativamente barata e necessário em bens de consumo diário, e serviços. Em particular, para definir novos tipos de atividades de artesanato: fabrico e reparação de equipamento de pesca e ferramentas para a pesca (varas de pesca, bóias, suportes spinners, barras, gaiolas, montes, escumadeiras, facas bórax zherlitsy).

 Itens de decoração em técnica de decoupage, a produção de arte produtos Terra na técnica, fabricação de telhas fogão de vidro e não vidrada (azulejos e os painéis decorativos, inserções, beirais telhados de barro natural por mão de embalagem ou o preenchimento de um molde de gesso, pressionando, mão caramanchão, vidros, decoração). Além disso, o decreto especificado e ampliado (por meio da inclusão de componentes adicionais, por tipo de bens e (ou) dos materiais a partir dos quais eles são feitos) determinadas actividades anteriormente atribuído ao número de embarcações. Em particular, a lista de materiais que podem ser feitos de loiça doméstica e equipamentos de cozinha, completada por referência ao estanho. 

Como uma atividade artesanal é considerado de fabricação e reparação não apenas trenós puxados por cavalos e provozok, mas trenó infantil. Lista de produtos, que são feitos de madeira, expandiu baús indicação, esculturas e equipamentos para parques infantis da decoração. Possibilidade fixa de produção de fios e cestas de fio, não só, mas também outros produtos (exceto móveis) para pessoais (família) necessidades dos cidadãos. Na lista de materiais para a fabricação de tais produtos, que anteriormente tinha sido limitado a feno e plantas silvestres (vinhas, canas, cal, entre outros), incluindo a fita sintética. A lista de produtos artesanais feitos a partir de chapas metálicas, expandido para incluir drena. como materiais para tratamento artístico em atividades de artesanato também são uma pedra, chifre, osso, metal, estanho (anteriormente - única árvore). Tratamentos prolongados de materiais relevantes (antes - escultura e queima) - Implementação de gravura sobre eles (com exceção de processamento de elefante presas atividades, hipopótamo, morsa, javali narval e selvagem, chifre de rinoceronte, os dentes de todos os animais, bem como as atividades para a produção de monumentos, estátuas, bustos, como resultado de pedra). significativas alterações positivas sido submetidos a uma lista de produtos artesanais e materiais que podem ser a sua produção.

 Como uma atividade artesanal é visto agora fazer artesanato (brinquedos, painéis decorativos, caixas, caixotes de cigarro, caixas de rapé, cinzeiros, caixas de dinheiro, porta-velas, maçanetas, acessórios e artigos de decoração de móveis, porta-chaves, porta-chaves, luvas, luvas, cintos, jóias, jóias pentes de cabelo, escovas de cabelo, adição decorativo para roupas, estatuetas, transformando encaracolados, lembranças, decorações de Natal, molduras, porta-retratos, faixas decorativas) de tecido, couro, palha, naturais e polímero de argila, cerâmica, incluindo incluindo cerâmica e porcelana, gesso, penas, pedras, madeira, vidro, metal, lata, ossos, chifres (exceto para a produção dos produtos utilizando o elefante presas, hipopótamo, morsa, javali narval e selvagem, chifre de rinoceronte, os dentes de todos os animais .) 

Além disso, o decreto № 432 fixada à utilização no fabrico de cores decorativas e composições são não apenas materiais artificiais mas natural. Por sua vez, a lista de métodos utilizados na fabricação de objetos de arte feitos de papel, complementada por técnicas como bumagokruchenie, vytinanka, cartão. Decreto Regulamentar № 432, que entrou em vigor em 2 de outubro de 2012, vai ajudar a estimular o desenvolvimento de artesanato, bem como a legalização das relações o gozo dos respectivos indivíduos deyatelnosti.

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Pinacoteca de Berlim oferece visitas guiadas a pessoas com demência


Em vez de ficarem sentadas em um canto, pessoas mentalmente desfavorecidas participam das visitas guiadas na Pinacoteca de Berlim. Um desafio, mas também um ganho para ambos os lados.

"Um pouco mais alto, eu não estou ouvindo nada", diz uma senhora idosa. "Eu quero seguir adiante!", brada outra senhora cadeirante. A pedagoga do museu, Jaqueline Hoffmann-Neira, estava um pouco insegura, porque era a primeira vez que fazia uma visita guiada para pessoas com demência.

Ela escolheu quadros sobre o tema "amor de mãe". Madonna com criança, de Botticelli e Rafael. Trata-se de um sentimento fundamental que todos conhecem, um tema com o qual todos podem se relacionar. E, realmente, o tema da mãe com a criança nos braços pareceu provocar recordações na maioria dos sete visitantes. Mas, quanto à pergunta sobre quem era a criança, reinou o silêncio.

"Jesus", soprou a educadora do museu. "É claro, e quem mais poderia ser?", falou quase indignado um imponente senhor idoso, impecavelmente vestido.

Lembranças por meio da arte

Trata-se de um experimento que a Berliner Gemäldegalerie (ou Pinacoteca de Berlim) aceitou realizar. Apesar de visitas guiadas em museus para pacientes com demência ou Alzheimer já sejam comuns há muito tempo em outras cidades alemãs, isso é uma novidade na capital do país, que quer ganhar a fama de ser uma cidade acolhedora para pessoas mentalmente desfavorecidas.

A iniciativa partiu de uma cidadã, Bettina Held, cuja mãe é portadora de demência. A ideia impolgou a comunidade portatora de Alzheimer – encontrar as portas dos museus públicos de Berlim sempre abertas. Houve treinamento para pedagogos culturais e, a partir de meados deste setembro, foram realizadas as primeiras visitas guiadas.

Já há muito se sabe que a música afeta diretamente pessoas com demência, desencadeia lembranças e emoções. Mas ainda é pouco difundida a ideia de que imagens também possam funcionar como parte da memória coletiva e pessoal.

O projeto na Pinacoteca de Berlim pretende possibilitar aos doentes mentais o acesso a uma área pela qual eles se sintam atraídos e onde possam participar da vida cultural.

As visitas se concentram em alguns quadros, em que os temas são especialmente importantes. "Amor" ou "paixão" despertam lembranças e sentimentos em qualquer um, inclusive entre as pessoas com demência. Os grupos são pequenos, de forma que é possível levar em consideração as reações de cada um.

Risadinhas com o cupido


"Eu não aguento mais ficar sentada", chamou uma cadeirante. A cuidadora a ajudou então a se sentar direito. Situações como essa também devem ser levadas em conta durante as visitas guiadas: elas exigem um grande esforço, primeiro a viagem, então os novos espaços, muitas pessoas juntas. E, de vez em quando, alguém tem que ser acompanhado ao banheiro.

Mesmo quando Jacqueline Hoffmann-Neira diz: "ok, então vamos fazer uma pausa", eventualmente, ela continua a ser seguida por uma pequena caravana. Auxiliados pelos cuidadores, que empurram, cada um, uma cadeira de rodas, chega-se lentamente à próxima sala.

Ali está pendurado o Cupido, de Caravaggio. Ouvem-se risinhos, pois esse Cupido expõe sua nudez de forma provocadora. É claro que nesse caso não se trata de "amor de mãe". Um visitante perguntou então à educadora do museu: "Quando você se apaixonou pela primeira vez?".

"É um toma lá, dá cá", explicou Jaquelina Hoffmann-Neira. Diferentemente de outras visitas, ela omitiu dados e detalhes histórico-artísticos. Mas foi uma grande experiência, mesmo que inicialmente ela tenha saído bastante do conceito, disse.

Sentimentos, lembranças, alegria

O próximo grupo de visitantes já está a postos. O conceito das visitas guiadas inclui, primeiramente, um café com biscoitos no saguão do museu, para que os visitantes conheçam a pedagoga. Este grupo tem apenas quatro participantes, duas mulheres estavam acompanhadas por filhos e netas.

Margot Zähler, uma das visitantes, tem 83 anos de idade, mas diz rindo que não sabe exatamente sua idade. No entanto, ao se deparar com um pintura de paisagem holandesa, ela vai direto ao ponto. "Água", responde Zähler, confiante, à pergunta sobre o que se pode ver no horizonte. Ela aponta, gesticula, mostra-se acordada e animada. Também as outras três visitantes parecem excepcionalmente concentradas, embora pouco falem.

Eu mostrei a elas que detalhes há no quadro", disse Birgit Bellmann, artista e pedagoga do museu. Embora durante as visitas se pretenda abordar emoções e lembranças, ela diz que o mais importante é que as participantes se divirtam. Além da observação de pinturas, Birgit Bellmann oferece também uma parte prática, em que os participantes podem pintar sua própria paisagem com diferentes técnicas, usando pincel ou espátula.

Contato com a arte na prática
Margot Zähler pintou um quadro com manchas azuis, uma listra oblíqua e um sol. Ela parece satisfeita. Essa parte prática, no entanto, não é bem-aceita por todos. A participante Marliese Werg, de 92 anos, é a mais velha do grupo e se mostra um pouco perdida diante da tela. As pinturas lhe agradaram, mas não lhe apraz pintar.

Ela afirma que quer ir para casa, descansar. Mesmo que ela não saiba exatamente onde mora. Mas ela gostaria de vir outra vez, diz. Depois de uma hora e meia de visita, os participantes ficam, obviamente, cansados.

Tais visitas devem se repetir regularmente na Pinacoteca. E a vivência da arte por pessoas portadoras de demência pode se tornar algo comum em Berlim.

Autora: Andrea Kasiske (ca)
Revisão: Francis França

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

100 ANOS DEPOIS: Colônia, na Alemanha, revive a marcante exposição "Sonderbund"

Em 1912, uma exposição realizada na Alemanha abalava o mundo da arte. Com uma apresentação inovadora, as pinturas mudaram a visão do modernismo. Agora, a mostra é novamente apresentada na cidade às margens do Reno.

Nos últimos meses, a dOCUMENTA (13) atraiu 860 mil visitantes à cidade de Kassel – um recorde. Desde 1955, a premissa da mais importante exposição da arte na Alemanha é mostrar o que há de mais contemporâneo na arte de todo o mundo. E isso é válido até hoje.

Também os organizadores da chamada exposição Sonderbund em Colônia, em 1912, já tinham a mesma pretensão: "a pintura altamente controversa dos nossos dias" deveria ser documentada, e o "avanço da modernidade" deveria receber apoio.

Os organizadores da mostra – uma associação de artistas, colecionadores, profissionais de museus e galeristas – estavam conscientes de sua missão. Ao público deveria ser mostrado como era a pintura europeia e quem seriam os pais da vanguarda.

Dessa forma, a exposição se tornou a apresentação mais importante do modernismo europeu, realizada na Alemanha antes da Primeira Guerra Mundial.

Primeira exposição de caráter moderno

A exposição Sonderbund é vista ainda hoje como uma importante precursora da Documenta. E não somente isso. Muitos estudiosos da arte consideram a mostra em Colônia como a primeira exposição de caráter moderno, como o início de período inovador de exposições. Não é de se admirar que esta mostra de arte tão importante e de tamanha repercussão seja "ressuscitada" exatamente cem anos depois.

Das cerca de 650 pinturas da exposição histórica, o Museu Wallraf Richartz mostra agora 120 obras, mais uma vez em Colônia.1912 – Missão Modernidade é o título da exposição revivida.

"O que os organizadores conseguiram realizar em 1912 foi o primeiro grande panorama representativo do modernismo – e, ao mesmo tempo, a sua manifestação na Alemanha", assinalou a curadora Barbara Schaefer em conversa com a Deutsche Welle. Schaefer preparou a exposição durante vários anos de trabalho meticuloso.

"A mostra Sonderbund deve ser vista como um protótipo das atuas exposições de arte. Aqui reside a sua primordial importância, como o primeiro – e talvez mais importante – exemplo para todas as sucessivas exposições de caráter histórico-artístico", disse Schaefer.

Na época, a mostra foi uma sensação – mas não um sucesso. O público de orientação burguesa ainda não estava preparado para compreendê-la. "O público ficou surpreso ao ver, a princípio, somente contorções, distorções, às quais não se podia dar sentido", registrou Hermann von Wedderkop, autora dos textos que acompanhavam a exposição. E um repórter da época disse estar convencido de que "as pinturas combinariam melhor com a coleção de um neurologista ou médico de loucos do que com uma exposição pública de arte".

Maior receptividade na Renânia

As contorções e distorções foram pintadas por artistas como Vincent van Gogh e Paul Cézanne, Pablo Picasso e Wassily Kandinsky, August Macke e Emil Nolde. A maioria dos artistas da época pertence hoje ao cânone modernista. Em 1912, a situação era bem diferente: no Império Alemão o clima nada receptivo, a compreensão artística ainda estava bastante enraizada no século 19.

A ascensão industrial da Renânia, seus muitos colecionadores e sua proximidade com a França fizeram da região o lugar apropriado para a exposição. Embora ali também tenha havido duras críticas e tenha reinado a incompreensão. Os jornais locais especularam, por ocasião da abertura, que se deveria proteger os quadros de ataques, para que "a ira não atraísse um tribunal de linchamentos sobre eles".

Não menos controversas também eram as pinturas provenientes dos países vizinhos e sua influência – constatada pelos curadores da época – sobre a arte alemã. "A exposição Sonderbund não foi somente uma demonstração deliberada das influências fecundas do exterior, mas também comprovou, por outro lado, o verdadeiro caráter internacional do jovem modernismo alemão", afirmou Barbara Schaefer.

Com mais de 100 quadros na exposição, Vincent van Gogh (Barcos de pesca na praia de Saintes-Maries-de-la-Mer, 1888, na foto principal do artigo) tornou-se a estrela da mostra, mas também foi dado muito espaço a franceses como Paul Cézanne, Maurice Denis ou Paul Signac

Além disso, surgiram nomes novos como Pablo Picasso ou Kandinsky. Também puderam ser vistos artistas austríacos (Egon Schiele e Oskar Kokoschka), escandinavos (Edvard Munch), suíços (Giovanni Giacometti, Ferdinand Hodler) e holandeses (Kees van Dongen, Piet Mondrian).

A Alemanha estava representada por grupos de artistas como A Ponte (Die Brücke) e O Cavaleiro Azul (Der Blaue Reiter). O que assustou a maioria dos visitantes foi, principalmente, a dissolução das formas, a representação da imagem humana, o uso das cores. Elementos que hoje encantam em vez de irritar, mas que no passado pareciam explosivos aos olhos dos observadores.

Nova forma de apresentação – e de marketing

Os organizadores da centenária exposição perseguiram uma abordagem incomum não somente com a escolha dos artistas. "A novidade estava na rejeição do tipo de exposição apenas para vendas, na apresentação sobre paredes brancas como também no abrangente marketing", disse Schaefer.

Antes de 1912, era comum a densa disposição de quadros nas paredes, justapostos ou pendurados uns em cima dos outros. Tudo isso foi mudado pela exposição Sonderbund. Para a curadora, ela foi nada menos que "a despedida das exposições coletivas sem conceito do século 19". E o que hoje é uma obviedade – catálogos e guias, brochuras e salas de descanso, marketing e cartazes – teve início desde então.

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Estátua de nazistas foi esculpida em meteorito de 15 mil anos



Uma estátua budista levada do Tibet para a Alemanha em 1938 por uma equipe enviada por nazistas para buscar "as raízes da raça ariana" foi esculpida há mil anos em um pedaço de meteorito, revelaram os cientistas encarregados de sua análise.

A estátua batizada de "O homem de ferro" pesa mais de 10 kg e mede 24 cm de altura. Acredita-se que representa o deus Vaisravana, uma importante figura do budismo. Em 1938, uma expedição de cientistas alemães enviadas pelo governo nazista para descobrir a origem da chamada "raça ariana" descobriu esta estátua, que tem uma cruz suástica no ventre, e a levou para a Alemanha.

Uma equipe do Instituto de Estudos dos Planetas da Universidade de Stuttgart, dirigida por Elmar Buchner, analisou a estátua e descobriu que foi esculpida em um bloco proveniente de uma ataxita, um tipo pouco comum de meteorito ferroso, segundo estudo publicado na revista Meteoritics and Planetary Science. Esse meteorito teria caído na fronteira entre Mongólia e a Sibéria há cerca de 15 mil anos anos.

Não se pôde datar com exatidão a escultura, mas seu estilo leva a pensar que teria vínculos com a cultura Bon, anterior ao budismo, no século XI.

Museu na Alemanha recria história da humanidade com lego

Para construir os doze ambientes, que vão desde uma aldeia neandertal até uma estação espacial, passando pela Roma antiga, foram gastos cinco meses.



Hamburgo - O museu arqueológico Helms, na cidade alemã de Hamburgo, recria a partir desta quarta-feira em uma exposição a história da humanidade com o uso de 1,5 milhão de peças lego.

A mostra, intitulada "Viagem pelo tempo de lego", ilustra ao longo de 30 metros doze ambientes, que vão desde uma aldeia neandertal até uma estação espacial, passando pela Roma antiga, com seus moradores e gladiadores, todos feitos de lego.

Para construir os ambientes, que já puderam ser vistos anteriormente no Museu Neandertal de Mettmann, foram gastos cinco meses na montagem das peças.

A exposição, que sucede a bem-sucedida mostra sobre a Idade do Gelo, reproduz com detalhes cenários da história da humanidade.

O visitante pode ver homens pré-históricos caçando um mamute, gladiadores lutando na areia e colonos americanos guiando seus rebanhos pelas planícies.

Entre as diversas maquetes, figuram paisagens como os Jardins Suspensos de Babilônia, a Grande Pirâmide de Gizé e a Grande Muralha chinesa, assim como modelos de navios vikings, castelos da Idade Média e naves espaciais.

A exposição é complementada com objetos originais da coleção do museu arqueológico, como um machado de pedra de um caçador de mamute, tabuletas cuneiformes de Mesopotâmia, cerâmica do Egito dos faraós e flechas de índios da América do Norte.

Uma das cidades mais belas Treze Tílias -SC


Treze Tílias é um pedacinho da Áustria em solo catarinense. Mais de 60% da população da cidade descendem dos imigrantes austríacos e o intercâmbio com a pátria-mãe é intenso. A cidade abriga o único consulado austríaco de Santa Catarina e o único do Brasil localizado numa cidade do interior. O Portal de entrada da cidade, em arquitetura austríaca, é famoso. A cidade é destaque pela arquitetura típica Alpina da Áustria e pelos fascinantes trabalhos em madeira produzidos por seus artistas, um dom herdado dos primeiros imigrantes. As obras espalham-se nos umbrais de portas, nas varandas e nos detalhes de decoração das casas. Destaque para as esculturas sacras, de todas as formas e tamanhos, pródigas em criatividade e beleza, que são conhecidas no mundo todo. 



Quase todas as construções têm uma torre e um galo, símbolo da disposição do tirolês para o trabalho. A tradição artística está presente no dia-a-dia e nos principais eventos do município, em animadas festas populares e nos grupos folclóricos. Há vários grupos de dança folclórica tirolesa, com coreografias trazidas pelos imigrantes e mantidas através das gerações. 



Os grupos apresentam-se por todo o Brasil e também no Exterior, sempre com muito sucesso. As danças e os trajes revelam as tradições do Tirol e de outros Estados austríacos. Os italianos e os alemães também contam com grupos folclóricos.

Treze Tílias possui vários parques, trilhas e lagos, sem esquecer da deliciosa culinária e do tradicional choppe.






Parque dos Sonhos

O principal atrativo do Parque dos Sonhos é o labirinto verde que impressiona os turistas pela sua estrutura. No local, você pode adquirir licores artesanais, produtos coloniais e o Apfelstrudel (torta de maçã) e o Früchte Brot (pão de frutas). No parque fica localizada uma das casas mais antigas da cidade, sem esquecer do delicioso sorvete ‘Alpen Eis’ de fabricação própria.

Localização – área central da cidade


Parque do Imigrante

Uma homenagem aos colonizadores. Um recanto de tranqüilidade rodeado de muito verde, quiosque, lago com pedalinhos, academia, parquinho infantil, quadra de areia, Capela de

São Bento e uma Via Sacra vinda da Áustria. Muito procurado para casamentos ao ar livre.

Consulado Honorário
da Áustria
O Consulado Honorário da Áustria para o Estado de Santa Catarina situado em Treze Tílias, foi instalado no dia 13 de outubro de 1988, com a presença do Excelentíssimo Senhor Embaixador da República da Áustria Dr.Nikolaus Horn
e Senhora, vindos de Brasília.
O Consulado está aberto para o atendimento ao público de segunda
a quinta-feira das 9:00 às 12:00 h e  sexta-feira das 9:00 às 12:00 h e das 14:00 as 17:30 hs.

Linha Pinhal
Um pedacinho da italiana, em terras brasileiras. Assim pode ser definida a comunidade de Linha Pinhal onde a tradição dos imigrantes italianos está mantida. Destaque para a arquitetura típica e para as cantinas que oferecem  refeições e produtos coloniais para degustação e venda – como o tradicional vinho.

Parque Lindendorf
A cidade de Treze Tílias em miniatura. Essa é a principal atração do Parque Lindendorf. Área verde, trilha ecológica e um lago onde o turista pode alimentar os peixes são algumas atrações do Lindendorf, sem falar do restaurante típico e das apresentações artísticas que fascinam os visitantes.

Castelinho
1º Museu Municipal Andreas Thaler
Primeira casa de alvenaria construída em 1937 onde hoje abriga o Museu Municipal que leva o nome do fundador da cidade – Ministro Andreas Thaler.
Incluso: Entrada para o Museu
Horários
1 De Quarta-feira a Segunda-feira
das 08h30 às 11h45 e das 13h45 às 17h
Domingos e Feriados – 10h às 12h.



Babenberg
A comunidade de Babenberg, à 7 Km do centro, é o local onde os imigrantes se instalaram quando chegaram ao município. Construíram sua 1ª igreja. Hoje encontra-se juntamente uma Via Sacra e a Gruta de Nossa Senhora Aparecida.




A arte da cidade que se torna simbolo de grandes Escultores talentos únicos.


Gotfredo Thaler, esculturas sacras de grande porte
• Rua Leoberto Leal, 260
• Fone: 0055 (49) 3537-0123



Conrado Moser, esculturas sacras em madeira e concreto
• Rua Leoberto Leal, 392
• Fone: 0055 (49) 3537-0297
• E-mail: reservas@hotel13linden.com.br 



Bruno Thaler, esculturas de portas móveis e edelweiss
• Rua Leoberto Leal, 335
• Fone: 0055 (49) 3537-0157
• E-mail: bruno@esculturasthaler.com.br
• Site: www.esculturasthaler.com.br 



Rudi Moser, esculturas sacras
• Rodovia dos Pioneiros
• Fone: 0055 (49) 3537-0190


Werner Thaler, esculturas clássicas e contemporâneas
• Rua Leoberto Leal, 562
• Fone: 0055 (49) 3537-0384
• E-mail: escultor@wernerthaler.com.br
• Site: www.wernerthaler.com.br




Mariana Thaler, esculturas em nó de pinho
• Rua Tirol, 29
• Fone: 0055 (49) 3537-0195
• E-mail: marianathaler@hotmail.com


Suzy Thaler Perondi, esculturas de quadros souvenirs e placas
• Rua Leoberto Leal, 279
• Fone: 0055 (49) 3537-0683 /
0055 (49) 3537-0157
• E-mail: suzy@esculturasthaler.com.br



Ludwig Blahowetz
• Rua Jacob Reiter, s/n°
• Fone: 0055 (49) 3537-0857



Ivo Boesing, esculturas e artesanato em madeira
• Rua Três Barras, 707
• Fone: 0055 (49) 3537-0248
Katharina Holzer Moser, Kerbschnitzen / mosaico

• Rua Leoberto Leal, 392
• E-mail: reservas@hotel13linden.com.br 



Bernardo Moser
Mini esculturas em madeira

• Rodovia dos Pioneiros
• Fone: 0055 (49) 3537 1388
• E-mail: moserbernardo@yahoo.com.br

Germano Pattis, esculturas variadas
• Rua Michael Moser
• Fone: 0055 (49) 3537-0536
• E-mail: germanopattis@hotmail.com

José Dalla Costa
• Rua Lúcia Klotz s/n
• Fone: 0055 (49) 3537 0397
Ingrid Thaler, esculturas variadas
• Rua Leoberto Leal, 260
• Fone: 0055 (49) 3537-0123
• E-mail: ingridthaler@yahoo.com.br

Ellen Thaler, esculturas variadas
• Rua Leoberto Leal, 260
• Fone: 0055 (49) 3537-0123
• E-mail: ellen_thaler@yahoo.com.br

Starbak Franz Schneider, pinturas e esculturas
• Rodovia dos Pioneiros
• Fone: 0055 (49) 3537-0184
• E-mail: contato@hotelschneider.com.br

Guinther Thaler
• Rua Leoberto Leal, 279
• Fone: 0055 (49) 3537-0157 /
0055 (49) 3537-0683
• E-mail: gui.th@ig.com.br
• Site: www.esculturasthaler.com.br

Christian Moser, esculturas sacras
• Rodovia dos Pioneiros
• Fone: 0055 (49) 9976 9367
• E-mail: titimoser@bol.com.br


Conrado Michael Moser, esculturas sacras em madeira e concreto
• Rua Michael Moser s/n
• Fone: 0055 (49) 3537 0297 ou 9971 7713
• E-mail: cone@hotel13linden.com.br


Taísa Moser Mucelin
• Rua Jacob Reiter, 176
• Fone: 0055 (49) 3537-0275
• E-mail: mu.celin@hotmail.com


Raimundo Moser
• Rua Frei Belmiro 15
• Fone: 0055 (49) 3537-0347 Ramal: 20














http://www.tirolerfest.com.br

Concerto em Homenagem ao Dia do Músico em Pomerode-SC


A Banda Municipal Die Originalen Rega Bläser realiza o 4º Concerto em Homenagem ao Dia do Músico. A homenagem se estende a todos os instrumentistas, cantores, compositores, regentes e pessoas ligadas diretamente à música, de modo profissional ou amador.

O dia 22 de novembro de 2012 é o Dia da Música e dos Músicos. Neste data se comemora o dia de Santa Cecília, considerada desde o século XV pela Igreja Católica como padroeira da música. Segundo conta a história, ela era de família nobre e dedicou sua vida a estudar música.

Concerto em Homenagem ao Dia do Músico
Local: Teatro Municipal de Pomerode
Horário: 20h
Entrada gratuita

Infos:  (47) 3387 6801 | culturaeventos@pomerode.sc.gov.br| 

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Pavilhão de exposições sobre a Guerra Fria é inaugurado no Checkpoint Charlie em Berlim

Na última semana, um dos pontos turísticos mais visitados de Berlim ganhou mais um atrativo. O Checkpoint Charlie, único lugar do mundo onde Estados Unidos e a antiga União Soviética posicionaram-se frente a frente com tanques de guerra, conta agora com o Black Box (Caixa Preta), um pavilhão permanente de exposição sobre o período da Guerra Fria.

O projeto, iniciativa que antecede a inauguração do Museu da Guerra Fria, prevista para 2015/16, no mesmo local, apresenta atualmente uma mostra com fotos, filmes e cartazes do período que marcou as histórias de Berlim, da Alemanha e do mundo. Para Klaus Wowereit, Prefeito de Berlim, tanto o pavilhão quanto o Museu da Guerra Fria foram muito bem recebidos devido à necessidade de informações históricas. “Além disso, é uma área do turismo extremamente importante para a capital. Museus de história contemporânea, memoriais e exposições atraem 10 milhões de visitantes à cidade”, afirmou.

O lado escuro de romance


No Museu Städel de Frankfurt, a partir de hoje tem a economia estranha: Com mais de 200 pinturas, esculturas e gráficos abre a exposição "Black Romântico De Goya a Max Ernst.".
Um cavalo lascivo com os olhos mortos e um demônio astuto sorridente inclinou-se sobre uma mulher indefesa em um vestido branco. Com o "Nightmare", de Johann Heinrich Füssli começa a exposição especial "Romântico Black" em Frankfurt Städel-Museu. A imagem de 1790 leva a um mundo de pesadelos e abismos.

A lista de artistas é longa

Exposição centra-se na solidão e melancolia, a paixão de sonhos, ea morte, eo horror do monstruoso.Envolvidas no show também são filmes do 20 Século, que se referem a imagens e mitos do "Romance Negro" - incluindo "Frankenstein" (1931), "Drácula" (1931) e "Fausto" (1926). Você será mostrado em conjunto com o Museu do Cinema Alemão.

A lista de faixas de artistas de Francisco de Goya no 18Século em Caspar David Friedrich na 19 Século para Salvador Dalí no 20 Século.Elemento de ligação entre os artistas é o seu interesse no estranho e do subconsciente, o. Inescrutável e pesadelo, como Núcleo do trabalho, de acordo com a tese do curador Felix Kramer, sua confiança abalada no poder da educação.

Romantismo como uma mentalidade
Não como uma mercearia época ou estilo, portanto, entende o romance, mas como um estado de espírito. O elemento unificador das mais de 200 obras, o interesse do outro lado da razão, o inconsciente eo estranho. Gatilho histórico, Kramer, foi o desapontamento de muitos artistas, que a Revolução Francesa transformou em terror sangrento e também a "Crítica da Razão Pura" de Kant continua bruxas eram queimadas. "O sono da razão produz monstros" Goya intitulou um de seus quadros.

O show "Romance Negro" é até 20 de Janeiro apresentou em Frankfurt. Em seguida, ele é de 4 Março a 9 Junho para ver o Musée d'Orsay.

hf / sc (dpa, EPD)

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Reconstrução: a mostra de arte moderna primeiro



100 anos atrás, uma exposição de Colônia abalou o mundo da arte. A pintura mudou a visão da era moderna, a apresentação de obras de arte foi inovadora. Agora, este show é exibido novamente.

860.000 visitantes reuniram-se nos últimos meses, a Documenta de Kassel (13). Um registro. A alegação desta importante exposição de arte alemã desde 1955, mostra de arte de todo o mundo, incluindo a nível do tempo. Que mantém até hoje. Só tinha esta afirmação sido os criadores da exposição aliança chamada especial formulado em Colônia, em 1912. "A pintura altamente controverso do nosso dia" deve ser documentado ", são estrada moderna de sucesso" de. Os criadores do show - uma associação de artistas, colecionadores, profissionais de museus e galerias - tinha um sentido de missão. O público deve ser mostrado: dom é pintado na Europa! Estes são os pais do avant-garde! Assim, a exposição mais importante para a apresentação do modernismo europeu na Alemanha antes de 1 de Segunda Guerra Mundial.

Primeira exposição de tipo moderno

A Exposição Sonderbund ainda é considerado um importante precursor da Documentação. E não só isso, muitos historiadores da arte para a taxa de Colônia mostra como o primeiro tipo exposição de arte moderna, como o início de um período de nova exposição. Não é de estranhar que esta mostra de arte tão importante e importante tem sido exatamente 100 anos depois de "renascer". Das pinturas cerca de 650 da exposição histórica, o Museu Wallraf-Richartz agora exibe 120 imagens novamente em Colônia. "1912 - Missão Moderna" é o título desta exposição revivido.


"O que os organizadores conseguiram, em 1912, foi o primeiro grande panorama representação da modernidade - e também a sua manifestação na Alemanha", Barbara Schaefer ressaltou em entrevista à Deutsche Welle. Schaefer preparou a exposição em vários anos de trabalho meticuloso.

O público em geral não tem sido até agora

"O show Sonderbund é considerado como o protótipo de exposições atuais de arte, mas ela queria ensinar visualização comparativa Aqui reside a sua importância primordial, como o primeiro -. E talvez o mais importante - modelo histórico de arte para todas as exposições subseqüentes reclamar", disse Barbara Schaefer. O show foi uma sensação - mas sem sucesso. A cozinha caracteriza público não estava preparado. "O público fica surpreso que olha primeiro contorções apenas, distorções, em que não faz sentido é trazer", observou Hermann von Wedderkop, que depois escreveu que acompanha a exposição. E um repórter contemporâneo estava convencido de que "as pinturas da coleção de um pouco nervoso ou alienista que em uma exposição de arte pública" pertencia.

Na Renânia era mais aberto
As contorções e distorções originadas por artistas como Vincent van Gogh e Paul Cézanne, Pablo Picasso, Wassily Kandinsky, Macke agosto, Nolde Emil. A maioria dos artistas do passado já fazem parte do cânone da arte moderna. Isso foi em 1912, no entanto diferente: No Império Alemão, o clima era nada, mas de mente aberta, compreensão da arte ainda estava no fundo da 19 Século ancorado.Para mostrar as pinturas e esculturas em Imperial Berlim teria sido impensável. A Renânia industrial emergente com muitos colecionadores ea proximidade da França apresentou-se como uma exposição de mais. Embora ainda não havia duras críticas e mal-entendidos prevaleceu. Jornal local doméstico especulado abrir, você tem que proteger as imagens dos ataques, por isso "a raiva não leva em tribunal Lynch sobre eles."
Eram controversos, não menos importante, as imagens dos países vizinhos e seus convidados - fora pelos administradores então - influência sobre a arte alemã. "A exposição Sonderbund não foi apenas uma demonstração deliberada das influências fecundas do exterior, mas também mostrou reverteu o caráter verdadeiramente internacional do modernismo alemão novo", diz Barbara Schaefer. Vincent Van Gogh (barcos de pesca na praia em Saintes-Maries-
de-la-Mer, a nossa imagem acima), que foi o único partido com mais de 100 imagens, foi a estrela fixa do show, mas outros franceses, como Paul Cézanne, Denis Maurice e Paul Signac foi um monte de espaço. Além disso, ainda apareceu artistas desconhecidos como Pablo Picasso e Kandinsky. E austríacos (Egon Schiele e Oskar Kokoschka), escandinavos (Edvard Munch), suíço (Giovanni Giacometti, Ferdinand Hodler) e Holandês (Kees van Dongen, Piet Mondrian) foram vistos.
A Alemanha foi com grupos de artistas como o "Cavaleiro Azul" e "The Bridge" representados. Que medo a maioria dos visitantes, foi principalmente a dissolução das formas, a imagem apresentada do homem, o uso das cores. Todas as coisas que encantam hoje, em vez de irritar, mas depois parecia explosivos nos olhos de quem vê.

Última pendurado - e marketing!
Organizadores abordagem incomum a exposição há 100 anos, não apenas com a seleção de artistas. "Nova era uma partida com o tipo de exposições puros de vendas, a apresentação sobre as paredes brancas e marketing extensa", diz Barbara Schaefer.Antes de 1912, era comum para as imagens do enforcamento densamente espaçados eram visíveis acima e ao lado do outro.Tudo isso mudou a exposição Sonderbund. Ela não era nada menos que a "licença de shows de coleta sem rumo do século 19".E o que é auto-evidente, hoje, catálogos e guias curtas, brochuras, e uma sala de descanso, marketing e cartazes, tudo levou tempo começou.


Mesmo em os EUA provocou a emissão de um eco grande. E não só isso, a mais importante associação de artistas americana estabelecida em 1913, em Nova York, uma exposição de uma espécie semelhante. A arte moderna começou no Novo Mundo para conquistar. E na Europa? "A exposição Sonderbund para o mercado da arte produziu um efeito de novo até 43 anos depois, deverá ser comparável à de 1 em Documenta Kassel," arte historiador Bernd Klüser e pesando Bernadette Hege.

Uma exposição de episódios até o momento


Com poucas exceções, é improvável que tenha desenvolvido uma mostra de arte nas décadas seguintes, como puxar um. Grande arte mostra como a Documenta resolver hoje, apesar das multidões já não reação tão forte - para além dos debates acalorados na seção de recursos. Muito que você se acostumar com o explosivo de todas as formas e conteúdos de arte, também, o avant-garde encontrou o seu caminho, mesmo em pensamento burguês, "Homem do nosso tempo vivendo no meio de um caos da vida diária, que o chama constantemente com novas impressões", diz Barbara Schaefer , "esta pode ser uma razão pela qual as obras de arte não são mais capaz de irritá-lo." O show Colônia atual deve ser um maior sucesso popular do que o original. Mesmo quando o "choque de modernidade", os visitantes então capturados hoje mal consegue entender: É a percepção de que não foi um sinal da Alemanha naquela época. O mundo da arte foi abalada. Pelo menos, durante um curto período. Dois anos depois, derrubou o início da primeira Segunda Guerra Mundial em meio ao caos da humanidade.

Para um catálogo da exposição monumental foi publicado: "1912 A visão moderna do século Missão da aliança especial .." Richartz-Museum/Wienand-Verlag Wallraf, Colônia, 2012, 648 páginas, inúmeras ilustrações. W e ilustrações em cores, ISBN: 111 1 86.832 978 3