terça-feira, 7 de maio de 2013

O que significa na Alemanha ser uma universidade de excelência?


As universidade alemãs de excelência talvez não possam ser comparadas a estabelecimentos como Harvard, Yale ou Stanford. Porém, em algumas disciplinas, elas têm renome internacional.
Em 2006, o governo e os 16 estados alemães criaram uma competição para melhorar a pesquisa de ponta no país. Nessa "iniciativa de excelência" são escolhidas as melhores universidades e instituições de pesquisa. Os vencedores recebem apoio financeiro do governo.
O motivo dessa seleção: permitir às universidades alemãs que continuem competindo em nível internacional. Em 2006, nove universidades foram consideradas universidades de excelência. Desde 2012, há na Alemanha 11 delas, chamadas no país "Elite-Unis".
As três bases da universidade de excelência
Para cada edital, as pouco mais de 100 universidades da Alemanha podem se inscrever em três categorias. A primeira dessas categorias distingue as universidades por seus programas de pós-graduação. Esses cursos formam a nova geração de cientistas e realizam pesquisas em áreas temáticas relevantes para a sociedade.
A segunda categoria engloba os chamados "cluster de excelência", nos quais as universidades podem se destacar com o trabalho interdisciplinar de seus centros de pesquisas de ponta.
Por último, as universidades precisam convencer com seus "conceitos futuros". Nesse campo, elas apresentam planos concretos para chegar ao grupo da elite internacional. Todas as universidades escolhidas costumam priorizar em seus conceitos futuros políticas para as mulheres, integração e pesquisa interdisciplinar.
Somente quem convence o júri com seus conceitos futuros, pode se chamar universidade de excelência. Universidades que não possuem esse título podem, mesmo assim, receber apoio financeiro por cada uma das categorias.
Uma vez excelência, não significa excelência para sempre
No passado, costumava-se criticar o fato de que com as iniciativas de excelência era investido muito dinheiro em pesquisa e muito pouco sobrava para o ensino. Por isso, muitas universidades focaram seus conceitos futuros não somente em pesquisa, mas também em estudantes e funcionários.
Melhorias na organização das questões burocráticas e no fluxo de informações, horários mais adequados de abertura da biblioteca, a prestação de serviços e também gestão de qualidade passaram a receber mais atenção.
Em cada novo edital, as universidades precisam se inscrever novamente para participar do processo de seleção. A Universidade de Karlsruhe, a Universidade Técnica de Munique e a Universidade Ludwig Maximilian de Munique foram as grandes vencedoras da primeira edição, em 2006.
Em 2007, as universidades de Heidelberg, Freiburg, Constança, Göttingen, a Escola Superior (RWTH) de Aachen (apesar do nome, é considerada universidade) e a Universidade Livre de Berlim adquiriram também o título. Porém, em 2012, as universidades de Karlsruhe, Freiburg e Göttingen perderam a posição de excelência.
Em contrapartida, as universidades de Bremen, Colônia e Tübingen, além da Universidade Técnica de Dresden e da Universidade Humbolt de Berlim, conseguiram convencer o júri com seus conceitos futuros e podem contar até 2017 com esse financiamento adicional.
Autora: Gaby Reucher (cn)
Revisão: Roselaine Wandscheer

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.