terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Programas de Bolsas de Estudo: Uma Chance para Jovens Talentos Alemanha


Diversos programas de bolsas, financiados pelo Ministério Federal dos Negócios Estrangeiros, são um instrumento importante da sua política científica externa. Esses programas oferecem a futuros cientistas de alto nível do exterior a possibilidade de realizar visitas de estudo e de pesquisa à Alemanha, lançando as bases para parcerias científicas com jovens talentos do mundo inteiro. Jun Zhu, jurista chinês e doutorando em Göttingen, é um deles. Como outros jovens acadêmicos altamente qualificados do exterior ele beneficia do apoio do Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD).
  O único critério que conta para o DAAD no caso de todos os candidatos bolsistas é a qualidade. O jurista chinês, nascido em 1982, reúne as condições ideais – notas excelentes, curso de bachelor em germanística, duplo mestrado do Instituto Sino-Alemão de Ciências Jurídicas em Nanjing e muita paixão pelo Direito. Desde outono de 2008 está escrevendo sua tese de doutorado no Instituto de Direito do Trabalho da Universidade de Göttingen sob orientação do professor catedrático Rüdiger Krause. Jun Zhu considera o direito do trabalho como particularmente envolvente por ser em grande medida campo de pesquisa inexplorado na China.

No ano de 2009, cerca de 4000 estrangeiros titulares de bolsas anuais como Jun Zhu, selecionados pelo DAAD, deram na Alemanha continuação aos seus estudos ou escreveram a sua tese de doutorado aqui. Além disso, a maior organização de bolsas a nível mundial oferece ainda um grande número de outros programas de fomento. A maior parte dos bolsistas é proveniente da Europa Central e Oriental, América Latina e Ásia, sendo na sua grande maioria doutorandos em matemática ou ciências naturais, bem como linguística e ciência da cultura. O número de bolsas para cursos de master e mestrado aumenta todavia cada vez mais. Os programas de bolsas são financiados pelo Ministério Federal dos Negócios Estrangeiros, que considera a ciência como forte elo de ligação entre a Alemanha e seus parceiros no mundo. No ano de 2010, o Ministério Federal dos Negócios Estrangeiros concederá apoio à ciência, à pesquisa e ao desenvolvimento, no valor de 230 milhões de euros, no âmbito de sua política cultural e educacional externa. A iniciativa de política científica externa, lançada em 2009, aporta uma contribuição considerável para o programa de bolsas já existente. Assim, o Ministério Federal dos Negócios Estrangeiras disponibiliza um montante total de cerca de 140 milhões de euros para estudantes e cientistas convidados, sob a forma de subsídios, sendo a maior parte das bolsas concedida por intermédio do DAAD. A iniciativa visa, além disso, o apoio específico de pessoas altamente qualificadas oriundas de regiões de conflito. A Fundação Alexander von Humboldt, as fundações políticas e o Instituto Arqueológico Alemão são igualmente parceiros importantes do programa.

Para Jun Zhu está decidido que vai continuar sua carreira na China: “O que mais quero é ficar na ciência e contribuir para a estruturação do direito do trabalho chinês”, diz ele. Isto corresponderia da melhor maneira às expectativas do DAAD: pois o sucesso da bolsa se mede pelo sucesso profissional da pessoa do bolsista. Ademais, é o conceito de rede que é importante, ou seja, a conexão entre jovens talentos da Alemanha e do mundo inteiro. Jun Zhu será certamente um bom parceiro nessa urdidura científica internacional que está em evolução permanente.

Texto: Janet Schayan/Societäts-Verlag

 A bolsa do DAAD inclui o pagamento de 650 euros por mês para estudantes, 750 euros para graduados e 1000 euros para bolsistas com atividades científicas de dois anos de duração. // 540 professores do ensino superior em cerca de 80 comissões de seleção a nível mundial selecionam os bolsistas com base em determinados critérios de qualidade. // São, no total, 33.000 estudantes e graduados estrangeiros por ano que beneficiam do fomento concedido pelo DAAD. // Em 2009, o montante destinado a bolsistas estrangeiros no orçamento do DAAD foi de 83 milhões de euros. // Desde 1950, 710.000 estrangeiros vieram à Alemanha no âmbito dos programas de fomento do DAAD.//

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.