segunda-feira, 11 de junho de 2012

Dengue já é ameaça também nos Estados Unidos / Climate Change Too Abstract For You? Dengue Fever Could Spread to 28 U.S. States


A dengue é uma das mais importantes doenças transmitidas por vetores na América Latina. Seu perigo reflete a sua rápida expansão, tanto em termos de áreas de transmissão quanto em número de pessoas afetadas. No entanto, essa preocupação que antes estava presente somente me países latinos, começa agora a se instalar em outros países do continente, como os Estados Unidos.

A preocupação naquele país é tanta que motivou o professor do Departamento de Geografia da Universidade do Novo México, Paul Zandbergen, vir ao Brasil conhecer mais sobre a doença. Segundo ele, o fato de não haver uma tradição de casos nos EUA, faz com que não haja pesquisas e metodologias sobre como lidar com a dengue. Ele quer justamente levar para seu país as experiências brasileiras.

 O professor apresentou, na Escola Nacional de Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz (ENSP/Fiocruz), dados sobre a doença nos EUA. Segundo ele, a maior prevalência de casos (cerca de 10 mil) foi entre viajantes que contraíram a doença no exterior. “Desse número, a maioria foi de mexicanos que atravessaram a fronteira legal ou ilegalmente”, completou.

No entanto, a inquietação com a doença aumentou depois que ocorreram casos de dengue autóctones (quando a pessoa é infectada na cidade onde mora) no Texas e na Flórida, entre 2009 e 2010. “Foram 28 casos nesse período, sem nenhuma morte. Perece um número insignificante comparados aos casos no Brasil, mas já foi suficiente para alertar as autoridades norte-americanas”, disse.

O professor explicou que os fatores climáticos são os principais responsáveis pela transmissão da dengue. Depois aparecem os socioeconômicos, como infraestrutura urbana e qualidade habitacional. “Na Flórida, o grande volume de chuva, as altas temperaturas, os muitos mangues e o gosto das pessoas em permanecer muito tempo na rua, são fatores para a ocorrência da doença”, exemplificou.

Porém, Paul alertou que as mudanças climáticas nas próximas décadas devem expandir a área de transmissão da doença nos EUA e aumentar o risco de uma epidemia de dengue grave.

“Estudos mostram que muitas regiões irão ficar mais quentes (com mais dias de calor), que as chuvas irão aumentar, que os verões serão alongados (terão em média três meses), e que haverá mais desastres naturais, como o furacão Katrina, que deixam destruição e áreas vulneráveis, principalmente em áreas costeiras”, explicou.

vermelho são municípios que têm uma das 2 espécies de mosquitos vetores da dengue. Azul são áreas vulneráveis. Imagem: Betão Bonita NRDCThat e ScaryMatthew escreveu recentemente um post sobre a mudança climática induzida expansão dos trópicos e as suas consequências. Um dos principais é o movimento o norte de determinadas doenças tropicais. O NRDC apenas lançou um relatório sobre o assunto (subtítulo: "Os mosquitos conhecidos por disseminar a dengue agora é encontrado em Mais da metade dos Estados dos EUA"), e mostra que 28 estados dos EUA estão em risco de serem afetados pela dengue. Confie em nós, não é uma doença divertido ter, na verdade, fundador TreeHugger Graham Hill conseguiu enquanto na América do Sul e ele compartilha sua experiência abaixo.O aquecimento global é provável que aumente o número de pessoas em risco de epidemias de dengue, expandindo tanto a área adequada para os mosquitos vetores ea duração do período de transmissão da dengue em áreas temperadas. Por 2085, cerca de 5,2 bilhões de pessoas - mais de 3 bilhões de pessoas adicionais em todo o mundo - são projetados para estar em risco de dengue por causa de mudanças climáticas induzidas pelo aumento da umidade que contribuem para a disseminação da doença, com base em modelos que usam relações observadas entre padrões climáticos e dengue outbreaks.6 Pesquisadores na Austrália e Nova Zelândia calculado que a mudança climática está projetada para aumentar o alcance e risco de dengue nesses países. Segundo seu estudo, outro 1,4 milhão australianos poderiam estar vivendo em áreas adequadas para o mosquito vetor da dengue em 2050. Além disso, o número de meses adequados para transmissão pode aumentar, aumentando os custos de dengue gestão de três a cinco vezes.Nos Estados Unidos, os surtos de dengue até agora têm sido limitados à região de fronteira EUA-México e Havaí. No entanto, a análise revela que o aquecimento global pode resultar em aumento da vulnerabilidade à dengue em todo o Estados Unidos e as Américas. Os resultados são motivo de preocupação: A análise mostra um aumento nos casos de dengue nos últimos anos nos Estados Unidos e seus vizinhos ao sul. E os mosquitos que podem transmitir esta doença se estabeleceram em uma faixa de pelo menos 28 estados, tornando a transmissão da doença mais provável.ExperienceWhen Graham Hill Dengue vi este relatório, a primeira coisa que pensei foi Graham. Alguns anos atrás, estávamos todos muito assustados quando soubemos que ele tem dengue. Pedi-lhe que rapidamente descrever sua experiência, aqui está o que ele tinha a dizer:"Enquanto vivia em Buenos Aires, fizemos uma viagem para o Rio. Ao entrar no quarto de hotel Copacabana praia eu desligou o AC e abriu as janelas, a fim de diminuir as emissões, enquanto lá. Não me lembro de ser mordido por um mosquito, mas devo têm como ao voltar para Buenos Aires eu me sentia mortalmente doente e foi para o hospital imediatamente. parar lá por 5 dias a IV, sentiu-se doente brutalmente por um par de semanas depois e levou meses para se sentir normal de novo (ainda se sentia cansado, fraco, talvez um pouco de náuseas). O pior é que se eu conseguir isso de novo (simples picada de mosquito), estou em risco de morrer de hemmoraghing interno ou externo. Tudo isso a partir de uma situação extremamente urbano. "Mapa mostrando a distribuição de dengue no mundo, a partir de 2006. Mapa produzido pelo Serviço de Pesquisa Agrícola do Departamento de Agricultura dos EUA. Cyan: áreas infestadas com Aedes aegypti. Vermelho: As áreas com Aedes aegypti e dengue recente epidemia. De domínio público.Mas não entre em pânico! Nada disso vai acontecer durante a noite, e que poderia ser evitado. Mas agora a tendência parece apontar na direção de mais doenças tropicais migram do Norte, incluindo a dengue.A divulgação completa: NRDC é um planeta parceiro sem fins lucrativos Verde.


red are counties that have one of the 2 Dengue mosquito vector species. Blue are are vulnerable areas. Image: NRDCThat's Pretty Concrete and ScaryMatthew recently wrote a post about the climate change induced expansion of the tropics and the consequences of it. One of the main ones is the Northward movement of certain tropical diseases. The NRDC has just released a report on the subject (subtitle: "Mosquitoes Known to Spread Dengue Fever Now Found in More than Half of US States"), and it shows that 28 US states are at risk of being affected by Dengue Fever. Trust us, it's not a fun disease to have; in fact, TreeHugger founder Graham Hill got it while in South-America and he shares his experience below.
Global warming is likely to increase the number of people at risk of dengue epidemics by expanding both the area suitable for the mosquito vectors and the length of dengue transmission season in temperate areas. By 2085, an estimated 5.2 billion people--more than 3 billion additional people worldwide--are projected to be at risk for dengue because of climate change-induced increases in humidity that contribute to the disease's spread, based on models that use observed relationships between weather patterns and dengue outbreaks.6 Researchers in Australia and New Zealand calculated that climate change is projected to increase the range and risk of dengue in these countries. According to their study, another 1.4 million Australians could be living in areas suitable for the dengue mosquito vector by 2050. Moreover, the number of months suitable for transmission may rise, increasing the costs of dengue management three- to fivefold.
In the United States, dengue fever outbreaks have so far been limited to the U.S.-Mexico border region and Hawaii. However, our analysis reveals that global warming could result in increased vulnerability to dengue fever throughout the United States and the Americas. The findings are cause for concern: The analysis shows an increase in dengue fever in recent years in the United States and its neighbors to the south. And the mosquitoes that can transmit this disease have become established in a swath of at least 28 states, making disease transmission more likely.
Graham Hill's Dengue Fever ExperienceWhen I saw this report, the first thing that I thought about was Graham. A few years ago we were all quite scared when we learned that he got Dengue Fever. I asked him to quickly describe his experience, here's what he had to say:
"While living in Buenos Aires, we took a trip to Rio. Upon entering the Copacabana beach hotel room I unplugged the AC and opened the windows in order to lessen emissions while there. I don't recall being bit by a mosquito but I must have as upon returning to Buenos Aires I felt deathly sick and went to the hospital immediately. Ended up there for 5 days on I.V., felt brutally sick for a couple of weeks thereafter and took months to feel normal again (still felt tired, weak, maybe some nausea). What's worse is that if I get it again (simple mosquito bite), I am at risk for dying of internal or external hemmoraghing. All this from an extremely urban situation."
Map showing the distribution of dengue fever in the world, as of 2006. Map produced by the Agricultural Research Service of the US Department of Agriculture. Cyan: Areas infested with Aedes aegypti. Red: Areas with Aedes aegypti and recent epidemic dengue fever. Public domain.
But don't panic! None of this will happen overnight, and it might be avoided. But right now the trend seems to point in the direction of more tropical diseases migrating North, including Dengue Fever.
Full disclosure: NRDC is a Planet Green non-profit partner.