sábado, 2 de julho de 2011

Palmeira Jerivá muito comum nas cidades


As palmeiras ou coqueiros, como são popularmente conhecidas, são da família Aracaceae, compreendem 207 gêneros e 2.675 espécies. Só na Mata Atlântica ocorrem 40 espécies de Palmeiras, sendo que muitas dessas são endêmicas, ou seja, só ocorrem nesse bioma.

O Syagrus romanzoffiana (Cham.) Glassman ou coqueiro-jerivá, como é conhecida popularmente, ocorre na Mata Atlântica desde o sul da Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais e Goiás até o Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul.

Devido ao conjunto de suas características botânicas, constituem grupo vegetal muito peculiar, além de possuírem grande valor ornamental, econômico e nutricional.

Estudos descrevem que os frutos de Palmeiras são utilizados por uma ampla variedade de animais como papagaios, periquitos, jacus, tucanos, morcegos e primatas. Os frutos também são importantes na dieta alimentar do esquilo, ele faz a abertura dos cocos da palmeira, segurando com as mãos, enquanto come.

Os frutos do coqueiro-jerivá também são muito apreciados pelo humano, principalmente pela criançada, sendo uma lembrança comum no interior, a quebra dos coquinhos. Eles eram deixados para secar e depois abertos com pedras para retirar a amêndoa.

Não se pode deixar de lembrar também as brincadeiras com as “canoas” feitas com as grandes brácteas secas dos coqueiros e que eram usadas para descer os pastos íngremes, que viravam verdadeiras pistas de corrida. Tudo isso, claro, com direito a tombos e cambalhotas, mas certamente com muita diversão.

O jerivá tem entre 10 e 15 metros de altura, e frutifica durante todo o ano, porém com pico de maturação entre fevereiro e agosto. Suas folhas são grandes, de cor verde intenso, com até 4,0 m de comprimento. Desde o sul até o centro-oeste do Brasil, é a palmeira mais freqüente na natureza e em cultivo, sendo uma das espécies de palmeiras indicadas para a produção de palmito, podendo ser utilizado em plantios comerciais e também no enriquecimento de florestas secundárias.

No Viveiro de Mudas Nativas Jardim das Florestas, o coqueiro-jerivá é produzido com objetivo de plantios de embelezamento de propriedades e paisagens e restauração de áreas degradadas.


Nome científico: Syagrus romanzoffiana (Cham.) Glassman
Família: Arecaceae
Coleta de sementes: diretamente da árvore quando começar a queda espontânea dos frutos ou recolhê-los do chão.
Época de coleta de sementes: Fevereiro a agoto.
Fruto: Amarelo, em cachos onde cada fruto tem aproximadamente 2 cm.
Flor: Amarela
Crescimento da muda: Médio
Germinação: Demorada, a partir de seis a oito meses.
Observação: A semeadura desta espécie é feita através de pré-germinação em canteiros com serragem.
Plantio: Mata ciliar, área aberta, solo degradado.





A diversidade de frutas do Brasil

                                   A diversidade de frutas do Brasil

Morador do Brasil há 28 anos, o historiador norte americano Matthew Shirts ficou impressionado com a variedade de frutas que Entrevista com Matthew Shirts/historiador:
" Hoje em dia você encontra qualquer coisa em qualquer lugar do mundo, pelo menos nos centros mais ricos. Naquele tempo não. Eu não conhecia frutas como Mamão, Manga, não conhecia a imensa variedade de Bananas que existe no Brasil. Nos Estados Unidos só tem uma Banana. Aqui tem a Prata, a Ouro, a Maçã. E o Abacate que nos EUA é comida salgada, na Califórnia, de onde eu vim, onde se segue a tradição mexicana e chilena, aqui é comido doce".
Redator chefe da Revista National Geographic e colunista de jornal, Shirts escreveu um artigo bem humorado sobre a relação dos brasileiros com as frutas. Sem nenhum constrangimento, falamos das que prendem e soltam o intestino.
Entrevista com Matthew Shirts/historiador:
" Eu comecei a pensar que esse saber popular faz parte do tecido mesmo da cultura brasileira. É uma cultura antiga, acredito, repassada pelas mães. Eu gosto muito de fruta, como muita fruta, descobri algumas coisas não pela cultura popular, mas pela cultura científica, numa revista científica: maçã acorda e prende. E passei a usar nesse sentido".
O Brasil é um dos países mais ricos em biodiversidade do mundo e por isso temos aqui várias espécies de frutas nativas como o Abacaxi e a Goiaba. Mas outras como O Mamão, a Laranja e a Mexerica se adaptaram tão bem ao nosso clima que já fazem parte da mesa do brasileiro e de todas elas se pode tirar vantagens para a saúde".
Que o diga a nutricionista Anita Sachs, professora do departamento de Medicina Preventiva da UnifEsp, a Universidade Federal de São Paulo.
Entrevista com Anita Sachs/ nutricionista :
" As frutas são importantes tanto na prevenção como no controle de algumas doenças, do bem star, da saúde em geral e nós podemos dizer que a melhor fonte de vitamins, minerais e fibras está na feira. É o lugar onde se deve adquirir essas substâncias e não na farmácia.
Naõ só frutas cítricas como a mexerica e o limão contém vitamina C.
Entrevista com Anita Sachs/ nutricionista :
"A Goiaba é riquíssima em vitamina C e ela contribui, assim como a Manga, a Mexerica, a Laranja, o Mamão, o Caju, a Acerola, para a prevenção de doenças cardiovasculares e alguns outros tipos de infecção porque elas contribuem para evitar a formação de radicais livres. Também são importantes na prevenção de certos tipos de câncer".
Frutas são importantes fontes de fibras.
Entrevista com Anita Sachs/ nutricionista :
"Dentre as insolúveis temos as presentes na Manga, Mexerica, Laranja, Figo, que contribuem para prevenir ou mesmo tratar o intestino preso, comum na nossa população pela falta de ingestão de fibras."
O brasileiro come pouca quantidade de frutas. Cerca de 2% do total de calorias diárias, quando o ideal seria um pouco mais de 10%. A Organização Mundial de Saúde recomenda o consumo de cinco unidades ou fatias de frutas por dia.

Cientistas pesquisam as causas do desaparecimento de colônias de abelhas no mundo todo

Cientistas pesquisam as causas do desaparecimento de colônias de abelhas no mundo todo.


20 mil espécies de abelhas foram descritas no mundo nas américas 400 são conhecidas. Um grave problema no mundo é a redução das populações de abelhas que desenvolvem importante trabalho de polinização das plantas.Em alguns lugares da Europa e Estados Unidos as abelhas estão sumindo.O CNPQ encomendou um levantamento para especialistas sobre a situação das abelhas no Brasil. O estudo deve orientar políticas públicas,o documento deve ser entregue neste mês de abril.
Setenta e cinco por cento das espécies vegetais da terra que precisam de polinização por insetos e animais recebem a ajuda das abelhas. A procura de alimento , elas transferem o pólen de uma flor para outra e assim fecundam as plantas.No apiário no campus da Universidade de São Paulo, o biólogo Tiago Francoy estuda as abelhas nativas também conhecidas como indígenas.No país existe em uma grande diversidade de espécies de abelhas.
Entrevista com Tiago Francoy -biólogo da escola de artes, ciências e humanidades da USP/apiário do Instituto de Biociências da USP:
"No Brasil,em torno de duzentas e pouqinho a gente tem a estimativa que esse número pode ser muito maior. Esse tipo de abelha não produz mel,mas como são 95% da diversidade da abelha mundial, elas são algumas das principais polinizadoras. Essa polinização por abelhas é responsável por trinta por cento da produção de alimentos mundial."
Esta colméia de jatai , espécie sem ferrão, pode abrigar até vinte mil abelhas.
Entrevista com Tiago Francoy -biólogo da escola de artes, ciências e humanidades da USP/apiário do Instituto de Biociências da USP:
"O trabalho de polinização aumenta não só a quantidade mas a qualidade,que geralmente são maiores ou dependendo do tipo de fruto tem mais semente.um gosto melhor."
A população de abelhas está diminuindo na Europa e Nos Estados Unidos em média trinta por cento ao ano.No Brasil ,o problema começa a preocupar os cientistas.
Entrevista com Tiago Francoy -biólogo da escola de artes, ciências e humanidades da USP/apiário do Instituto de Biociências da USP:
"Agora esses relatos principalmente na região sul do país tem aumentado um pouco.Só recentemente que a gente tem um grupo da Unesp de Rio Claro que está começando.Um estudo sobre doses subletais desses agrotóxicos,então ela não mata a abelha adulta,mas ele contamina o pólen. Com esse pólen ela alimenta os individus mais jovens,as larvas."
O desaparecimento das abelhas pode ser provocado por várias causas.Entre as princiipais está o uso abusivo de inseticidas nas plantações.E também o desmatamento que leva a destruição do habitat das colônias.O risco é perder o serviço que as abelhas prestam de graça.
Uma das soluções para manter as abelhas por perto é investir na atividade agroflorestal que conservar a mata próxima da lavoura.

Reserva Particular de Cerrado, no interior de Goiás, resiste ao garimpo e ao avanço da soja

Reserva Particular de Cerrado, no interior de Goiás, resiste ao garimpo e ao avanço da soja.

Arbustos com troncos retorcidos, de casca grossa em meio a um tapete de gramíneas que favorece a propagação do fogo. Apaisagem do cerrado criou o mito de um bioma pobre. puro engano, confirma a engenheira florestal Maysa Guapyassú. Ela trabalha na Fundação o Boticário de proteção à natureza que conserva uma reserva particular do patrimônio natural ao norte de Goiás ,em pleno cerrado:.
Entrevista com Maysa Guapuassú-engenheira florestal da Fundação O Boticário:
"O bioma cerrado, ele tem desde florestas, vegetação ciliar, florestas ciliares, florestas de vale ou de galerias, ele tem campos limpos, só de gramíneas, ele tem o que chama de campos sujos com pequenos arbustos, tem o cerrado ralo, o que a gente chama de cerrado parque ou savana parque que é um campo com algumas árvores esparsas stricto sensu que a gente chama que o cerrado que deu nome à formação.A gente tem o cerradão de porte maior."
O mosaico de formações vegetais é a chave da biodiversidade.Uma riqueza traduzida em números:cerca de dez mil espécies diferentes da flora, mais de quarenta porcento delas nascem exclusivamente no cerrado.Há explicação para este alto grau de endemismo:
Entrevista com Maysa Guapuassú-engenheira florestal da Fundação O Boticário:
"Eu preciso de espécies para se adaptarem à quantidade imensa de alumínio que tem no solo, ao regime de fogo que é comum.O fogo é um elemento de mudança e ele alterou a evolução do cerrado. As espécies tem que resistir a este fogo, tanto que algumas espécies evoluiram para as sementes só germinarem depois do fogo passar, precisam do fogo para a semente germinar."
O cerrado brasileiro é considerado a savanas mais rica do mundo.No Brasil, é a segunda maior formação vegetal depois da floresta amazônica.A área originária de mais dois milhões de quilômetros quadrados que ocupa principalmente a região central do país , está sendo literalmente apagada do mapa pela ação do homem.No município de Cavalcante, em Goiás, quase divisa com o Tocantins a terra é revolvida em busca de jazidas de minérios.
Uma das grandes ameaças ao cerrado, é o garimpo, a mineraçào. Além do garimpo,em Goiás,tem muitas outras pressões:
Entrevista com Maysa Guapuassú-engenheira florestal da Fundação O Boticário:
"O que resta do cerrado em Minas está indo embora para alimentar siderúrgica, e o eucalipto veio em cima e aí em Goiás foi mais ou menos a mesma coisa só que invés de eucalipto, veio a soja então a gente tem muita pouca área de cerrado".
Não há consenso sobre o quanto se perdeu do bioma.O governo federal fala em mais de quarenta por cento, alguns pesquisadores em cinquenta , outros já calculam em quase setenta por certo de perda.
Para Maysa a única maneira de proteger o resta do bioma é criar unidades de conservação:sejam elas particulares ou públicas.

lixo nuclear

Suécia constrói depósitos de lixo atômico debaixo do oceano

O depósito de Foshmark é considerado um dos mais seguros do planeta. Ele fica em um túnel, 50 metros abaixo do fundo do mar, no coração de uma rocha de 1,9 milhão de anos.

Toda usina nuclear produz um lixo radiativo. Essa é um das maiores preocupações dos ambientalistas e das autoridades de países que usam energia atômica para produzir eletricidade. Os enviados especiais do Jornal Nacional à Suécia, Marcos Losekann e Sérgio Gilz, conheceram uma solução de engenharia para esse problema.
Um depósito de lixo, muito além do fundo do mar. Se uma lâmina de apenas 50 centímetros de água já é considerada segura para evitar a propagação de radioatividade, imagine então com mais de 300 metros de água em cima.
O depósito de lixo atômico de Foshmark é considerado um dos mais seguros do planeta. Fica em um túnel, 50 metros abaixo do fundo do mar, no coração de uma rocha de 1,9 milhão de anos de existência. É um material tão duro quanto o aço e tão isolante quanto o chumbo. Nele, todo o lixo atômico produzido na Suécia está sendo sepultado para sempre.
Dentro da rocha e, ainda por cima, coberto por uma camada de um metro de concreto. São 100 toneladas de lixo atômico por ano. O material é levado em contêineres por caminhões especiais. Tudo automatizado para evitar contaminação.
O depósito definitivo deu tão certo que os suecos decidiram ir ainda mais fundo: um túnel 10 vezes maior já está sendo escavado. Serão 500 metros abaixo do fundo do mar. O objetivo será vender espaço para que outros países também possam se livrar de seu lixo atômico.
Segundo a responsável pelo projeto, além de ter o solo livre do risco de terremotos, Foshmark fica bem atrás de uma ilha, em uma baía considerada à prova de tsunamis. Mas o melhor de tudo, diz ela, é que o projeto foi aprovado por 80% da população local, de olho nos investimentos que serão atraídos para lá: o equivalente a R$ 500 milhões, ‘energia econômica mais que bem-vinda em um município de apenas 6 mil habitantes.
O único problema que com o tempo isso vai sobrecarregando o sistema não do do local mais num futuro pr´ximo de trazer problemas para vida local com o tempo a erosão da própria natureza faz que ainda a instalação não seja tão segura como os especialistas afirma mas ja é um bom começo para que não tenha contato tão direto com a vida terrestre.

celular ecológico Nokia


A Nokia Corporation (pronúncia em finlandês: [ˈnɔkiɑ], nóquia) é uma empresa finlandesa de telecomunicações, líder mundial na fabricação de aparelhos, de um modo geral, para comunicações móveis, com aproximadamente 40% do mercado de telecomunicações em 2007. Ela produz telemóveis nos padrões GSM, TDMA e WCDMA (UMTS). E até o início de 2006, a empresa produzia aparelhos CDMA.

O celular Nokia 3710 é um celular ecológico é que  o nosso meio ambiente esta precisando, de que  cuidemos com mais amor dele, simplesmente porque nós somos parte do nosso planeta e sem ele como poderemos sobreviver, estamos cansados de ouvir notícias de desastres e como não nos preocupar com o nosso futuro?Ele é feito de 60% de material reciclado e é 80% reciclável ele ajuda a cuidar do meio ambiente pois seus conteúdos e seus serviços são ecológicos, confira abaixo:

- Eficiência de energia:
- Lembrete para tirar o carregador da tomada
- Carregador de alta eficiência Nokia AC-8
- Materiais:
- Não contém PVC
- Não contém níquel na superfície do produto
- Reciclagem: o aparelho é até 80% reciclável
- Embalagem:
- Feito com até 60% de material reciclado
- Embalagem de tamanho reduzido

Vale a pena lembrar que os países Nórdicos são exemplos de tecnologias inovadoras com fundamentos de proteção ao meio ambiente.

Per Capita do Brasil pode chegar a 12 mil US$ este ano


Renda per capita brasileira pode superar os US$ 12 mil este ano

Com esse resultado, País pode ultrapassar a média mundial de US$ 11,2 mil de renda per capita até dezembro



A economia brasileira está próxima de alcançar a marca de US$ 12,5 mil (R$19.706) de renda per capita em 2011, segundo projeções eleboradas com base nos dados oficiais do Produto Interno Bruto (PIB) divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Isso significa que o Brasil deve ultrapassar a média mundial de US$11,2 mil de renda per capita e ganhar oito posições no ranking mundial de PIB per capita do Banco Mundial. No ano passado, o País alcançou uma renda per capita que superou a marca de US$ 10 mil.

O Brasil ocupa atualmente a 104ª posição e deve saltar para o 92º lugar até o fim do ano, superando países como Sérvia, Irã, Romênia e Turquia. O indicador de renda per capita é resultado da divisão entre as riquezas produzidas por um país e sua população.
As mudanças estruturais na economia do País com o fortalecimento da classe média, a redução de forma mais acelerada da pobreza e o aumento real do salário mínimo, que ampliou o poder de compra das famílias, devem contribuir para consolidar o ritmo de expansão econômica de forma sustentada, a exemplo do que aconteceu em décadas passadas com alguns dos principais países desenvolvidos como Estados Unidos e Japão.
A expectativa do governo e dos analistas é que o País alcance um crescimento de 4,5% este ano. Apesar de ser um desempenho mais modesto na comparação com o forte resultado de 7,5% apresentado em 2010, o ponto positivo segundo os especilalistas é o fato de que o crescimento da economia em 2011 se dará sobre uma base forte e mais consolidada.
Em 2009, o PIB per capita do Brasil atingiu R$ 16.414. O dado oficial referente a 2010 ainda não foi divulgado pelo IBGE. O instituto aguarda a consolidação dos dados populacionais do último Censo, realizado no ano passado.

Dolar em Queda no Brasil

Dólar fecha a R$ 1,558, menor valor em mais de 12 anos



A cotação do dólar comercial fechou em baixa de 0,26% nesta sexta-feira (1º), a R$ 1,558 na venda. Com isso, a moeda norte-americana tem o menor valor desde janeiro de 1999, seguindo o maior apetite por risco no exterior e a expectativa de um aumento mais prolongado dos juros, no primeiro dia do novo cálculo da Ptax (taxa de referência do câmbio).
É a quinta queda seguida do dólar. No ano, a desvalorização já chega a 6,48%.

Apesar da definição da Ptax na metade do dia, o mercado continuou funcionando normalmente durante a tarde, embora com volume reduzido.
A Ptax, calculada pelo BC e usada como referência para contratos futuros e outros derivativos, agora é uma média aritmética feita a partir de consultas com os principais bancos do mercado. Até quinta-feira, era uma média ponderada por volume de todas as operações de câmbio à vista.
Profissionais de mercado previam uma redução do volume, principalmente por causa de uma diminuição da liquidez no mercado de "casado", em que as operações são combinadas com negócios no mercado futuro.
Operadores ressaltaram, no entanto, que o feriado de segunda-feira nos Estados Unidos também contribuiu para enfraquecer os negócios durante a tarde.
De acordo com o operador de uma das principais corretoras que operam "casado", o volume nesse segmento foi de cerca de US$ 1,3 bilhão, abaixo da média anterior de US$ 2 bilhões.
Mas, na opinião de Jorge Knauer, diretor de tesouraria do Banco Prosper, o novo método para calcular a Ptax não foi o responsável pela quinta queda seguida do dólar.
"A gente teve Bolsa subindo... um aumento substancial na curva mais longa dos juros futuros, e de forma geral um ambiente positivo lá fora", disse à Reuters.
O aumento dos juros futuros acontece após o Relatório de Inflação do Banco Central, que na quarta-feira levou analistas a revisarem para cima projeções para a alta da Selic em 2011.
Já a alta das Bolsas, ainda em consequência do alívio com a situação na Grécia, foi impulsionada pela surpresa positiva com os dados do setor manufatureiro dos Estados Unidos.

sexta-feira, 4 de março de 2011

Governo gastou muito em 2010 e agora chegou a conta

"Quando forem divulgados os dados de fevereiro, a inflação será de 0,80%. A inflação acumulada vai continuar subindo".

Uma triste notícia para os foliões. Hoje o Banco Central se reúne e deve subir os juros em 0,5%. Isso já está sendo repassado para as taxas de juros cobradas ao consumidor em vários tipos de formalidades de crédito.
Além disso, hoje o IBGE o divulga a produção industrial de janeiro, que também será negativa - o que significa que a economia está desacelerando. Mas a inflação continua alta. Então o Banco Central tem que subir os juros.
Ano passado conversamos o tempo todo que o governo estava gastando demais. A conta chegou agora. A inflação está pressionada por muitos motivos, inclusive os gastos excessivos do governo em 2010. Neste ano, os cortes ainda não convenceram.
Quando forem divulgados os dados de fevereiro, a inflação será de 0,80%. Em março, caio um pouco. Mas a inflação acumulada em 12 meses vai continuar subindo. Pode inclusive chegar perto do teto da meta. Isso é um problema para o BC. Ele tem que subir os juros segundo a meta de inflação.

vista das cidades durante o dia da nasa / view of cities during the day nasa

Cidades vista da Nasa

São Paulo e principal centro financeiro, corporativo e mercantil da América Latina.Cidade mais populosa do Brasil, da América e de todo o Hemisfério Sul, São Paulo é a cidade brasileira mais influente no cenário global, sendo considerada a 14ª cidade mais globalizada do planeta,recebendo a classificação de cidade global alfa, por parte do Globalization and World Cities Study Group & Network (GaWC).

 É o centro da área metropolitana de Nova Iorque, a qual está entre as áreas urbanas mais populosas do mundo. Nova Iorque é considerada uma cidade global, dada a influência exercida por ela sobre o comércio mundial, finanças, cultura, moda e entretenimento. Além do mais, nela se localiza a sede da Organização das Nações Unidas e é também um importante centro de negócios internacionais. A cidade é muitas vezes referida como New York City

Região Metropolitana de Tóquio possui mais de 37 milhões de habitantes, o que torna a aglomeração de Tóquio, independentemente de como se define, como a área urbana mais populosa do mundo.

quinta-feira, 3 de março de 2011

catavento com garrafa pet /plastic pet with pinwheel

 Cata vento com pet.

As crianças vão adorar e você poderá introduzir noções de reciclagem e meio ambiente enquanto monta um brinquedo que garante entretenimento aos adultos e aos pequenos.

Este passo a passo usa equipamentos profissionais de artesanato, como rebitadeiras e broca, mas você pode adaptar a técnica apresentada, para usar elementos que a garotada use sem problemas.

Antes de começar, tenha certeza de que tem em mãos todos os materiais

1º passo - Lave bem a garrafa e retire a cola do rótulo com solvente. Depois, risque os locais que serão cortados com o estilete

2º passo - Retire o fundo da garrafa, cortando com a tesoura
3º passo - Abra a garrafa verticalmente

 4º passo - Corte o bocal com a tesoura
5º passo - Dobre uma das pontas do meio da garrafa, formando um triângulo


6º passo - Corte a parte dobrada com a tesoura e ignore o excesso de garrafa

7º passo - Abra o triângulo, formando um quadrado. Com a tinta vermelha, pinte as quatro pontas do quadrado

8º passo - Faça um risco de cada cor em cada ponta do quadrado, terminando com a tinta azul. Espere secar

9º passo - Vinque o quadrado no sentido oposto ao do primeiro vinco, marcando o meio da peça

10º passo - Com o furador, fura o meio do quadrado

11º passo - Fure também as quatro pontas do quadrado

12º passo - Pinte cerca de 4 cm do palito chinês com a tinta vermelha

13º passo - Fure a outra extremidade do palito chinês

14º passo - Corte 7 cm das 4 pontas do quadrado, levando a tesoura em direção ao centro da peça

15º passo - Este é o resultado do 15º passo; está quase acabando

16º passo - Encaixe o rebite no furo central do quadrado

17º passo - Dobre cada ponta furada, encaixando-as no rebite para formar o catavento

18º passo - Bata o rebite com a rebitadeira sem retirar o prego

19º passo - Certifique-se de que a peça está assim, antes da próxima etapa

20º passo - Corte o canudo de plástico e encaixe-o no furo do palito chinês

21º passo - Encaixe o canudo no prego do rebite e vire a ponta com o alicate para fixar
E está pronto o catavento. Agora é só ir para a rua, ou janela, e se divertir

porta vela com garrafa pet/door plastic bottle with candle


Adicionar legenda

Uma da idéias legais como esse catiçal de garrafa pet é simples mais bem elaborado, para um jantar de velas ou até mesmo  improvisar em caso de queda de energia em últimos casos.
Ecologia a cada momento se torna uma palavra fundamental para nosso dia a dia.Espero que isso inspira muitas pessoas a conciência do nosso meio ambiente.
Por causa o planeta terra está pedindo socorro.

hinamatsuri


O Festival de Bonecas (em japonês: 雛祭り Hina-matsuri), ou "Dia das Meninas" é uma festa típica japonesa, que ocorre no dia 3 de março - terceiro dia do terceiro mês. Plataformas com panos (em japonês: 緋毛氈 hi-mōsen) vermelhos em degraus são dispostas para expor as bonecas (em japonês: 雛人形 hina-ningyō), que representam o Imperador, a Imperatriz, serviçais, músicos com as vestimentas tradicionais do período Heian.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Conheça Joinville região de Estrada Bonita - Rio Bonito


Repleta de influência germânica, Joinville, em Santa Catarina, atrai turistas por sua história e sua área rural
A cidade foi por muito tempo tida como um lugar para negócios ou apenas um local de passagem entre destinos no sul do país. A “Cidade das Flores” está próxima tanto de sua capital quanto de Curitiba (PR), além de ficar também pertinho da praia, a apenas 45 km de São Francisco do Sul (SC). Joinville, entretanto, tem muito mais a oferecer.
 O município revela em sua arquitetura os traços de sua cultura e colonização, que possui uma história curiosa. Em 1843, a princesa D. Francisca, filha de D. Pedro I, casou-se com o terceiro filho do então rei da França. A região onde hoje se encontra Joinville foi oferecida como parte do dote da princesa. Em 1848, o rei francês é destronado e, em dificuldades financeiras, vende estas terras ao senador alemão Christian Mathias Schroeder, que inicia um projeto de imigração ao território adquirido.


Esse processo possui forte influência até os dias de hoje. Para entender tudo isso, caminhe pelas ruas do centro e observe a arquitetura de traços germânicos, algumas delas se mesclando ao desenvolvimento da cidade. Observe a técnica de construção de algumas casas mais antigas, feitas em enxaimel (técnica em que as paredes são montadas com hastes de madeira encaixadas entre si). E, para saber mais sobre a chegada dos imigrantes e o impacto causado na sociedade do norte do Estado, visite o Museu de Imigração e Colonização. Em frente ao casarão que abriga o acervo do museu está um dos cartões postais da cidade: a rua das Palmeiras. Nos fins de semana e outros momentos em que a tranquilidade impera no local, pode-se ouvir o barulho das folhas ao vento. Acomode-se em um dos bancos ou na grama e observe as palmeiras de maior tamanho, plantadas em 1873.

 Culturalmente, dois meses movimentam intensamente a cidade. Em novembro, o município se torna colorido e perfumado e dá boas-vindas à Festa das Flores. Em julho, artistas e turistas de toda parte do mundo estão presentes para conferir o Festival de Dança.

 Não vá embora de Joinville sem conhecer sua área rural, onde permanecem mais fortes as raízes da cidade. Comece pela Casa Krüger, a 15 km do centro. Este patrimônio foi tombado pelo Estado em 1996 e hoje é posto de atendimento a quem deseja realizar o turismo rural por lá. Obter informações é essencial para prosseguir viagem. Mesmo que você saiba se deslocar por estes arredores, muitos locais necessitam de agendamento prévio para visitação, o que pode ser feito por telefone ou na própria Casa Krüger.

 Das quatro regiões que compõem o turismo rural na cidade, a Estrada Bonita é a que está mais preparada para receber o visitante. O acesso é pela BR-101, com destino a Garuva. Aqui reina a calmaria, nada de vários ônibus cheios de turistas ávidos por fotos e com tempo marcado para o retorno. São oito propriedades abertas à visitação. Na entrada de cada uma delas, placas indicam sua respectiva especialidade, como a fabricação de pães, cucas, geleias, melado, mel, biscoitos e cachaça artesanal. Se puder, chegue logo pela manhãzinha na propriedade da família Kersten e observe a ordenha das vacas.

Deseja dormir e acordar sentindo o cheiro e ouvindo os barulhos típicos da fazenda? Reserve uma ou mais noites em uma das pousadas. Para as refeições, restaurantes tradicionais e familiares servem, por exemplo, marreco recheado, eisbein, kassler e, pelas tardes, um farto café colonial.


 As regiões Dona Francisca e Quiriri estão ao norte do centro da cidade, após a passagem pela Casa Krüger e são cheias de pequenas estradas de terra, que saem da SC-301, conhecida como estrada Dona Francisca. Uma delas é a estrada do Pico, que abriga o Engenho de Eugênia Fleith, um alambique com produção artesanal de cachaça. Na estrada Isaak, vale a pena conhecer o Engenho de farinha Silva, que possui uma roda d’água e a produção de farinha artesanal.

 Na própria SC-301 está o Max Moppi, propriedade que possui um alambique centenário e teve seu início com a venda de pastéis e produção de cachaça artesanal. Nos fins de semana, aproveite para provar a gastronomia típica dos imigrantes alemães, como o marreco assado ao forno de lenha, chucrute, spätzle e salsicha boch.

Se a ideia é admirar a natureza em sua forma mais bruta, opte pelas trilhas na Serra do Quiriri, com subida ao Monte Crista (967 m) e ao Pico Garuva (1292 m), com imagens de tirar o fôlego. Buscando um passeio mais fácil, a SC-301 também leva a um mirante na Serra Dona Francisca, a 550 metros de altitude, com vista do Vale do Rio Seco, onde a estrada foi construída em meados do século 19.

Rio Bonito:

Como o próprio nome sugere, a região encanta por suas belezas naturais, pela gastronomia e pela preservação do local, formado por pequenas e bem cuidadas propriedades de moradores basicamente descendentes de alemães, comerciantes de produtos coloniais. No roteiro estão incluídos encantos de lazer, como lagos para pescaria, trilhas e riachos, além de hospedagem e locais para a realização de eventos. A Estrada Bonita é a referência do turismo rural de Joinville e região.
 Joinville é, sem dúvida, o lugar ideal para quem procura um centro moderno e, ao mesmo tempo, com o ritmo gostoso de cidades tranqüilas. Aqui, você tem a comodidade de uma ótima rede hoteleira, restaurantes com opções de cozinha internacional e uma ampla estrutura de serviços, compras e lazer: grandes shoppings, supermercados, um comércio forte e diversificado. Está entre a serra e o mar, tem as facilidades da maior cidade de Santa Catarina, com fácil acesso a diversos roteiros turísticos e a companhia de um povo hospitaleiro.

 Joinville e a segunda cidade mais segura do Brasil para se viver. Este e um dos resultados da pesquisa publicada esta semana pela Revista Epoca, fruto de um trabalho desenvolvido pelo Instituto de Pesquisa Economica Aplicada (IPEA), que cruzou dados estatisticos das secretarias da Seguranca Publica de todo o pais, Ministerio da Saude e Censo 2000 do IBGE. De acordo com a pesquisa, em Joinville, de cada 100 mil habitantes, 8,03 tem chance de ser assassinados



Gastronomia


A gastronomia típica dos imigrantes alemães que colonizaram Joinville está mais concentrada fora do eixo central da cidade, na estrada Dona Francisca (SC-301), região do Rio Bonito e em pequenas estradas da zona rural. Fazem parte do cardápio comidas como a carne de marreco, o nhoque alemão, feito de batata-doce e recheado com banana-da-terra, o spätzle, espécie de nhoque de menor tamanho à base de trigo e ovo, e o chucrute.


É facilmente encontrado o muss, espécie de geleia pastosa feita com açúcar mascavo, e a schmia, espécie de muss com pedaços de frutas. Eisbein, prato que leva joelho de porco à pururuca, bockwurst, tipo de salsicha elaborada com carne de vitela e de porco, e kassler, iguaria feita com costela de porco defumada, também estão presentes.

 Pães caseiros, cucas e conservas como os rollmops são ainda encontrados com facilidade. Os rollmops, vale destacar, são feitos com filés crus de sardinha enrolados na cebola, que, depois de fervidos, são guardados em conserva no vinagre. É comum comê-los como petisco bebendo cerveja. Este último item, aliás, costuma ser da marca Opa Bier, cervejaria artesanal joivilense fundada em 2006.

 Abaixo alguns restaurantes que merecem uma visita:
Max Moppi – Destaque para os pastéis, inclusive com recheio de carne de marreco, e bufês nos fins de semana com gastronomia típica germânica. Na propriedade, há um alambique centenário aberto à visitação mediante agendamento. Rod. SC 301, km 80, tel. (47) 3428-0062.

Restaurante Serra Verde – Serve culinária germânica em uma casa tombada pelo patrimônio histórico, com atendimento familiar. Rod. SC 301, tel. (47) 3428-0036.


 Gründwald – Além do almoço com comida típica, à tarde oferece um café colonial com especialidades rurais. Estrada Bonita, tel. (47) 3464-1004. http://www.grunwald.com.br/


Restaurante Ghermann – Oferece almoço, com destaque para o café colonial composto por 45 variedades de doces e salgados. Estrada Bonita, tel. (47) 3437-8141.



 Restaurante e Choperia Sopp – Aberto em 1986, funciona em ambiente típico germânico. Rua Marechal Deodoro, 640, América, tel. (47) 3422-3637. http://www.sopp.com.br/
Restaurante Colonial Gute Küche – Oferece pratos típicos alemães e café colonial no período da tarde. Rua Eunênio E. Kunde, 1100, Pirabeiraba, tel. (47) 3424-1404. http://www.joinvillenet.com/gutekuche/


 Biergarten Chopp e Cozinha – Oferece gastronomia típica, agregada a demais pratos no cardápio. Rua Visconde de Taunay, 1183, centro, tel. (47) 3423-3790. http://www.biergartenchoperia.com.br/